PS-Madeira demarca-se do PS nacional

12 Jul 2018 / 20:55 H.

O secretário-geral do PS-M, João Pedro Vieira, acaba de emitir um comunicado, para clarificar a posição da estrutura na Região sobre o resultado da votação, esta tarde na Assembleia da República, do modelo de subsídio de mobilidade que preconiza o pagamento do valor de apenas 86 euros (65 euros/estudantes) para os residentes que queiram viajar para o continente.
A proposta da Assembleia Legislativa foi viabilizada pelos votos de todos os deputados, com excepção dos do PS, onde se inclui os eleitos pela Madeira, Carlos Pereira e Luís Vilhena.

“Na sequência da votação desta tarde na Assembleia da República da proposta do parlamento madeirense que altera o modelo de subsídio de mobilidade aérea, o PS-Madeira clarifica que não se revê no sentido de voto manifestado na Assembleia da República pelo PS e mantém a posição manifestada na Assembleia Legislativa Regional, onde contribuiu activamente para a discussão das propostas apresentadas e votou favoravelmente o diploma aprovado por unanimidade e remetido à Assembleia da República. Esperamos e contamos que na discussão em especialidade, bem como no grupo de trabalho criado entre o Governo Regional e o Governo da República para discussão desta matéria, seja possível brevemente chegar a uma solução consensual que sirva os interesses dos madeirenses. Defendemos que é necessário um novo modelo de subsídio social de mobilidade, tendo como prioridade que os madeirenses deixem de adiantar o valor da passagem, que é um encargo incomportável para a grande maioria das famílias. O Estado, seja o Governo da República ou o Governo Regional, têm a responsabilidade de rapidamente encontrar uma solução para este problema. Será sempre esta a posição do PS-Madeira”, assume João Pedro Vieira.

Outras Notícias