“Onde está o ferry que vinha e ainda não veio?”, questiona o NÓS, Cidadãos!

15 Fev 2018 / 14:03 H.

O NÓS Cidadãos! Madeira e Porto Santo entende não ser aceitável que os políticos em campanha eleitoral prometam à população “mundos e fundos”, e após vencerem as eleições não honrem os compromissos assumidos e/ou os alterem - melhor, “prorroguem” no tempo ou mesmo os abandonem - em relação ao apalavrado antes do ato eleitoral.

Isto a propósito da promessa da ligação marítima – via ferry – entre a Madeira e o continente, que o partido diz ser um bom exemplo do que um político não deve fazer.

“O descontentamento em relação a esta promessa não cumprida, é hoje enorme na sociedade madeirense, como é verificável nas redes sociais mas também numa qualquer vulgar conversa de café. Antes de mais, e sabemos todos NÓS, Cidadãos!, que esta ligação marítima é um direito consagrado constitucionalmente e que está a ser negado à população madeirense. Mas, além deste importante facto, há outras grandes vantagens que decorrem da sua (re)implementação para todos os madeirenses e porto-santenses”, diz o partido. E dá exemplos: “produtos perecíveis frescos e a preços mais competitivos; ajuda na economia regional (importação/exportação para o continente português); transporte de viaturas a preços deveras mais baixos; alternativa à viagem aérea, para residentes e também turistas (por opção do passageiro e/ou por condicionamento/fecho do aeroporto); possibilidade de deslocação para quem nunca saiu da ilha por ‘medo de voar’”.

Para o sucesso desta operação, o NÓS, Cidadãos! diz ser necessário não atrapalhar o armador que a queira concretizar, seja ele qual for e evidentemente, subsidiar, como é exigível, o transporte marítimo para passageiros, à semelhança do que ocorre por via aérea.

“Mas diante de tudo isto, hoje, 15 de fevereiro de 2018, dia em que termina(va) os 40 dias para o procedimento concursal da linha ferry Madeira - continente nacional (sem blindagem do concurso anterior e agora com os mesmos 3 milhões para subsidiar 14 semanas no Verão e duas viagens extra no fim de ano), um prazo e ‘condições’ fixadas pelo Governo Regional liderado por Miguel Albuquerque e Pedro Calado – e já entretanto prorrogado – NÓS, Cidadãos! questionamos: Senhor vice-presidente do Governo Regional, Pedro Calado, está ainda em condições de garantir aos madeirenses e porto-santenses que as suas declarações do dia 18.12.2017 (“Uma coisa podemos prometer, e vamos manter essa promessa; no Verão do próximo ano, no Verão de 2018 teremos o ferry na Madeira”), estão hoje mais próximas da verdade ou, pelo contrário, ainda mais distantes dela? NÓS, Cidadãos! lembramos que as pessoas estão já esgotadas de tentativas de concretização – e sucessivos adiamentos – de promessas que nunca mais deixam de o ser!”.

E conclui dizendo que “não basta anunciar e/ou prometer, é preciso materializar o que foi prometido!”.

Outras Notícias