“O negócio da banana na Madeira não poderá servir só para algumas pessoas em detrimento de todos”, diz Governo

Executivo madeirense reage desta forma à notícia publicada esta sexta-feira pelo DIÁRIO sobre produtores que estão desconfiados com o seguro de colheita

16 Fev 2018 / 16:53 H.

A propósito da notícia publicada na edição em papel do DIÁRIO de Notícias da Madeira desta sexta-feira, intitulada “Produtores desconfiados com seguro de colheita” (que poderá ler aqui se for assinante digital ou então consultar a edição física), o Governo Regional acaba de enviar um comunicado visando esclarecer a opinião pública em algumas matérias.

“O sector da banana vive um momento próspero na Região. O regresso ao passado jamais será possível. O que os senhores (a quem a notícia faz alusão) querem é um voltar ao passado. O Governo Regional não vai permitir que os fundos comunitários não cheguem aos produtores como anteriormente acontecia”, começa por dizer o Executivo madeirense, através da tutela da Agricultura.

“Com este Governo Regional, os fundos comunitários vão chegar sempre a todos os produtores. O negócio da banana não poderá servir só para algumas pessoas em detrimento de todos”, adianta.

“O tempo das cooperativas, em que os agricultores não recebiam o produto do seu trabalho atempadamente, não voltará a acontecer”, refere o Governo que, reconhece, desta forma, que tal aconteceu no passado durante os anteriores executivos de Alberto João Jardim.

E vai mais longe: “Recorde-se que foi necessário a intervenção do Governo para que todos os produtores tivessem direito aos rendimentos provenientes do seu trabalho. Quer directamente da produção quer dos fundos comunitários”.

Entende, por isso, que “o que está afirmado na notícia não é verdade”. “A diferenciação de preço que existe no sector da banana do Inverno para o Verão é de 9 cêntimos. Em 2017 foram entregues 2 cêntimos a todos os produtores num valor que rondou os 400 mil euros. Este ano no âmbito das ajudas aos factores de produção, estamos a distribuir um valor que irá rondar 450 mil euros no seu global. Vamos continuar a defender e a apostar na qualidade dos produtos para aumentar o rendimento e iremos continuar com os investimentos que estão programados”.

“Basta seguir os arquivos na comunicação social para saber quem no passado levou o sector ao estado em que chegou a estar. Hoje, as pessoas têm dinheiro na conta do produto da venda entregue na empresa pública. Uma empresa que é auditada e verificada e que cumpre todos os requisitos para a comercialização da banana com melhor rendimento para o produtor e a prova disso é o aumento da classificação de banana extra face aos anos anteriores”, sustenta o Governo da Madeira.

Sobre os seguros

Já em relação aos seguros diz que estão activos e que existem várias pessoas com seguros realizados no CA Seguros. “É um modelo que foi seguido na Madeira e que é melhor quando comparado ao do Continente, onde em caso de incêndio cobre a produção e as plantas. Neste momento estamos a fazer um levantamento para saber quais os prejuízos na produção da banana face aos ventos que aconteceram nos últimos dias”.

Tópicos

Outras Notícias