Mercado dos Lavradores concluiu a sua primeira certificação de qualidade de sempre

06 Fev 2018 / 14:01 H.

A Câmara Municipal do Funchal implementou, pela primeira vez na História do Mercado dos Lavradores, um processo de certificação de qualidade, especialmente focado nas questões da higiene e da segurança alimentar.

A certificação, dirigida pela empresa regional QualiRAM, teve ainda como áreas de intervenção: a segurança e saúde no trabalho, o ambiente, a consultoria na área agrícola, biológica e de marketing e vendas, e o apoio legislativo e nutricional.

O processo de certificação decorreu entre Maio e Dezembro e João Pedro Vieira, vereador que tutela os mercados municipais, faz um balanço muito positivo do mesmo: “A evolução a nível de boas práticas foi evidente, a receptividade por parte dos lojistas foi digna de registo e este é um esforço de qualificação que sublinha o compromisso deste executivo para com a progressiva valorização da oferta do nosso mercado”.

Uma das particularidades da certificação foi o serviço de ‘Personal Planing’, dirigido a todos os comerciantes do mercado, com um programa de formação teórico-prática, que privilegiou a realização de acções de formação nos próprios estabelecimentos, incidindo em questões tão importantes como a motivação, o planeamento, a cooperação, a performance, a gestão de expectativas e uma comunicação mais clara e responsável.

João Pedro Vieira recorda que “o objectivo foi, desde o início, envolver e valorizar os nossos comerciantes, para que pudéssemos juntos apontar a esta meta comum que é responder com cada vez mais excelência às exigências de um mercado cada vez mais competitivo. A chave do processo foi a proximidade e a reciprocidade para com os nossos comerciantes”.

Além das acções de formação, foram realizadas, ao longo dos últimos meses, diversas auditorias de segurança alimentar, bem como um acompanhamento a todos os stands e lojas, verificando progressivamente as alterações e as melhorias efectuadas após o trabalho realizado pela QualiRAM.

“Verificámos mudanças importantes em muitas áreas, desde o acondicionamento mais adequado dos produtos alimentares, até ao melhor cumprimento das boas práticas de higiene, e ao cumprimento de regras de conduta pessoal, sendo que vários stands elaboraram ainda, pela primeira vez, manuais HACCP [Análise de Perigos e Controlo de Pontos Críticos] para os seus espaços”, evidenciou o autarca.

Os stands e lojas com melhor avaliação no processo de certificação serão agora distinguidos pela sua performance, com a atribuição de placas de reconhecimento, numa cerimónia pública, que terá lugar nas próximas semanas.

João Pedro Vieira conclui, dizendo que “os objetivos a médio e longo-prazo para os mercados municipais passam, justamente, por esta melhoria contínua dos serviços, por mais e melhor certificação, pela diversificação integrada da oferta e pela preservação da identidade dos espaços, como máxima agregadora de qualquer intervenção presente e futura”.

Outras Notícias