JPP “lamenta” situação vivida na ‘Aldeia da Paz’

O partido relembra que tentou levar esta situação ao parlamento regional em Dezembro de 2017

03 Ago 2018 / 20:14 H.

O Juntos pelo Povo (JPP) lamenta a situação que se está a passar na Fundação Lar Nossa Senhora da Paz, mais conhecida por ‘Aldeia da Paz’. Uma situação que, “infelizmente, lesa os utentes desta instituição e os funcionários que, diariamente, lutam para que as coisas funcionem”.

Uma situação que JPP “tentou” levar à Assembleia Regional logo “após as declarações trazidas a público, em Dezembro de 2017”, tendo pedido uma audição parlamentar à Presidente do Instituto de Segurança Social da Madeira, IP-RAM, “para esclarecer a situação”, refere Paulo Alves, vice-presidente do Grupo parlamentar do JPP, relembrando que o pedido, “apenas discutido e votado em Março deste ano, foi chumbado pela maioria PSD que demonstrou desinteresse total por ver esclarecida toda a situação”.

De acordo com Paulo Alves, “comprova-se que esta era uma situação que merecia esclarecimentos e discussão por parte de quem assume responsabilidades governativas com a demissão de três elementos da direcção da ‘Aldeia da Paz’”, salientando que as IPSSs são “instituições de extrema importância para o trabalho social desenvolvido na Região, nas suas várias valências e que, o ISSM,IP-RAM tem competências de acompanhamento e fiscalização que, nesta situação não se verificaram”.

O parlamentar diz ser “fundamental” que o trabalho social desenvolvido comece a ser considerado “de forma séria, transparente e com responsabilidade para com os utentes, funcionários e para com a sociedade em geral”, sendo “inadmissivel” que se continue a verificar situações menos “claras” que poderão colocar em causa o bem-estar dos utentes que já se encontram em situação de grande vulnerabilidade.

“A governação das instituições públicas que recebem dinheiros públicos tem de ser pautada pelos princípios da honestidade e da transparência”, reforça o JPP.