CMF reuniu-se com o intuito de delinear estratégia para os sem-abrigo

22 Nov 2017 / 20:03 H.

“Juntar todas as entidades que mais trabalham nesta área” e que tenham “soluções diferentes” para os sem-abrigo foi o assunto que levou várias instituições a reunirem-se esta tarde na Câmara Municipal do Funchal. A autarquia fez um diagnóstico de todos os parceiros e do guia de recursos disponíveis na cidade do Funchal “com os diferentes eixos e valências”, explicou Madalena Nunes, vereadora da CMF.

“Tivemos uma grande abertura dos parceiros, e das 10 entidades convidadas compareceram nove”, entre elas a Segurança Social, SESARAM, CASA, AMI, APP, Cruz Vermelha, entre outras. A vereadora mostrou-se grata pela “grande abrangência de soluções e disponibilidade para trabalhar em conjunto” de todos os envolvidos, tornando assim possível fazer um retrato de todo o Funchal, cidade onde esta problemática “está mais visível, mas que é transversal”.

“O nosso objectivo é que as pessoas que estejam na rua sejam tratadas com dignidade, como qualquer outro cidadão, e tenham direito também à protecção”, disse Madalena Nunes, exemplificando que muitos sem-abrigo querem “ter um cartão de cidadão”. “É uma problemática que temos de ajudar a resolver”, finalizou.