Albuquerque garante que tem as contas “controladas” e acusa Costa de enganar os madeirenses

15 Fev 2018 / 15:01 H.

“A Madeira tem as suas contas públicas controladas, como é do conhecimento de todos e a declaração de ontem do senhor primeiro-ministro é, a todos os títulos lamentável. Mas não é nada de que não estivéssemos à espera”, afirmou Miguel Albuquerque, esta manhã, antes de uma visita às obras do Museu de Fotografia da Madeira. O presidente do governo regional reagia às afirmações de António Costa que, ontem, na Assembleia da República, disse que o défice da Madeira foi uma “desagradável surpresa” e que contribuiu para aumentar, numa décima, o défice nacional.

“Desde a primeira hora que dissemos que a agenda deste primeiro-ministro não era resolver os problemas da Madeira e dos madeirenses, mas desenvolver uma agenda política de tomada do poder na Região, a qualquer preço”, acusa Albuquerque.

Sobre as contas da Madeira, garante que ainda estariam melhor se a República pagasse o que deve.

“O défice da Madeira é baixo, mas poderia ser mais baixo se a República não estivesse a lucrar 12 milhões de euros por ano, ao cobrar juros mais altos do que se financia no exterior. Esses 12 milhões de euros é o que vamos gastar nas duas novas escolas, no Porto Santo e na Ribeira Brava. O défice poderia ser mais baixo se o primeiro-ministro pagasse os 16 milhões de euros de dívida dos sub-sistemas de saúde que os contribuintes madeirenses continuam a financiar. É quase o que já gastámos nos projectos e expropriações para o novo hospital”, afirma. Albuquerque também acusa António Costa de não pagar 33 milhões de euros de dívidas fiscais à Região.

“Este primeiro-ministro não cumpre o que prometeu aos madeirenses e, depois, vem confundir duas coisas que sabe muito bem e fê-lo deliberadamente que é a diferença do défice, em termos de contabilidade pública e o défice em termos de contabilidade administrativa”, acusa.

O presidente do governo regional e líder do PSD-M não tem dúvidas de que esta é uma acção partidária de Costa. “Estamos nitidamente em pré-campanha eleitoral. O primeiro-ministro não conhece muito bem os madeirenses. Se pensa que vai deitar poeira nos olhos dos madeirenses está muito enganado”.

Questionado sobre as responsabilidades do PSD no défice da Região, devolve as acusações: “O PSD tem a responsabilidade de ter feito o desenvolvimento da Madeira. Quem levou o país à bancarrota não foi o PSD, foi um governo do PS do qual este primeiro-ministro fazia parte”.

Outras Notícias