Críticas do Tribunal de Contas a uso dos donativos dos incêndios transversal à imprensa nacional

Jornais dão destaque ainda à possibilidade de Centeno ir para o FMI, entre outras notícias

19 Jul 2019 / 10:09 H.

Polícia sem acesso à base de dados com criminosos escreve o JN, dando conta que os computadores estão obsoletos e não suportam actualização do Sistema Estratégico de Informações. Na foto, os guias turísticos à margem da lei, com referência à fiscalização inexistente. Uma das chamadas do matutino é para as multas ao volante, que vão subir.

Mário Centeno é hipótese para encabeçar o Fundo Monetário Internacional, revela o Público. A manchete é dos donativos dos portugueses para os incêndios usados sem controlo. O alerta é do Tribunal de Contas, que diz que 58% do angariado no fundo Revita foi para prejuízos agrícolas. Hoje o Público tem um guia sobre reformas antecipadas na Função Pública. Na cultura, jazz londrino vai sentir-se em Portugal. É a foto principal.

O Diário de Notícias coloca em grande a gafe de Trump, que perguntou à ex-escrava do Estado Islâmico Nadia Murad porque lhe tinham dado um Nobel. A manchete é para a questão dos apoios às vítimas dos incêndios. O Tribunal de Contas diz que houve falta de transparência. Aqui também a possibilidade do ministro das Finanças português ir para o FMI.

O i abre a edição de sexta com uma entrevista a Linhares Furtado, cirurgião que fez o primeiro transplante em Portugal faz amanhã 50 anos. A manchete é também para o caso dos fundos mal usados. Ainda neste matutino, um toque português no tema actual da primeira ida do homem à Lua. “Amorim começou a servir a NASA na missão Apollo 11, que levou o homem à Lua. Nas pequenas chamadas, Instagram lança projecto-piloto para esconder número de likes e Antonaldo que diz que não é a primeira vez que a TAP paga prémios em ano de prejuízos.

No Negócios, a Generali compra a Tranquilidade por 600 milhões. Centeno com um pé no FMI diz o jornal. Contratos a prazo já assinados escapam a novas restrições. O jornal dedica parte da edição a uma análise às mudanças laborais. Sondagem mostra que o PSD está cada vez mais longe do PS.

No Jornal Económico, alerta para possível buraco de três milhões no Metro de Lisboa, Bloco quer englobar rendimentos prediais e de capitais no IRS e CGD avalia acções contra gestores que aprovaram crédito a Vale do Lobo. Ainda os trunfos de Mário Centeno na corrida à liderança do FMI.

No Correio da Manhã, a história de um homem que gasta mil euros na noite da morte. O idoso de 78 anos que morreu numa casa de alterne. Na foto principal, Perin chumba nos testes médicos do Benfica.

Nos desportivos, Perin surge em tamanho reduzido, adiado para o final do ano. Carlos Vinícius fechado escreve em grande A Bola. O Record pega no mesmo tema com a frase “Vinícius no Benfica”. O jogo veste-se de azul: “Sérgio alarga poderes”. O treinador alargou o raio de acção às três equipas profissionais, à comunicação e às contratações.

Outras Notícias