Presidente do Senado brasileiro infectado

Brasil /
19 Mar 2020 / 05:57 H.

O presidente do Senado brasileiro, Davi Alcolumbre, testou positivo para o novo coronavírus, permanecendo “em isolamento domiciliário e sem sintomas severos”, informou na quarta-feira a câmara alta do Congresso.

“Davi é o segundo senador a confirmar a doença. O primeiro foi Nelsinho Trad, que é presidente da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional. Nelsinho confirmou estar com a doença depois de integrar a comitiva do Presidente da República, Jair Bolsonaro, que foi aos Estados Unidos da América”, acrescentou o Senado.

Na rede social Twitter, Alcolumbre confirmou a informação, acrescentando que o seu primeiro exame tinha dado negativo. Após a repetição do teste, este acusou positivo.

“Depois do meu primeiro exame ao novo coronavírus dar negativo, refiz o procedimento, que nesta quarta-feira resultou positivo para Covid-19”, afirmou, acrescentando que está a trabalhar de casa.

“Temos importantes matérias para serem analisadas. O Congresso Nacional seguirá trabalhando e juntos vamos enfrentar essa pandemia”, escreveu o presidente do Senado e, consequentemente, do Congresso brasileiro.

O Congresso brasileiro é bicameral, sendo composto pelo Senado Federal, integrado por 81 senadores, e pela Câmara dos Deputados, com 513 deputados federais.

Também na quarta-feira, os ministros de Minas e Energia do Brasil, Bento Albuquerque, e do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Augusto Heleno, testaram positivo para o novo coronavírus.

Tanto Augusto Heleno, de 72 anos, como Bento Albuquerque, de 61 anos, fazem parte do grupo considerado de maior risco para o novo coronavírus devido à idade.

Os dois ministros brasileiros integraram uma comitiva que viajou para os Estados Unidos da América no início de março e que teve pelo menos 17 membros infetados pelo novo coronavírus.

Na noite de terça-feira, Jair Bolsonaro anunciou que o seu segundo teste ao novo coronavírus deu negativo, numa mensagem escrita na rede social Twitter.

“Informo que o meu segundo teste para Covid-19 deu negativo. Boa noite a todos”, escreveu Bolsonaro.

Este foi o segundo exame realizado pelo chefe de Estado brasileiro, depois de um primeiro teste negativo na quinta-feira passada.

De acordo com o protocolo do Ministério da Saúde, Jair Bolsonaro ainda deverá fazer um terceiro exame, na próxima semana.

A pasta da Saúde recomenda que sejam realizados três testes num período de 14 dias para pessoas que estiveram em contacto com infetados.

O número de mortes pelo novo coronavírus no Brasil aumentou na quarta-feira para quatro, com o país a registar 428 casos confirmados e 11.278 casos suspeitos, informou o Ministério da Saúde brasileiro.

Até ao momento, o país sul-americano já descartou 1.841 casos suspeitos.

Apesar de o executivo não divulgar em que estado as mortes foram registadas, a imprensa local indica que os quatro óbitos ocorreram em São Paulo, a região mais afetada pelo vírus.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19, infetou mais de 210 mil pessoas em todo o mundo, das quais mais de 8.750 morreram.