Com seis novos casos a Venezuela tem 135 infectados

30 Mar 2020 / 23:55 H.

A Venezuela registou hoje seis novos casos do novo coronavírus no país, elevando para 135 o número confirmado de infectados com covid-19.

O número de mortos confirmados mantém-se oficialmente em três.

O anúncio foi feito pela vice-presidente da Venezuela, Delcy Rodriguez, através da televisão estatal, precisando que há 47 pacientes que estão isolados, em casa, a receber tratamento.

Os seis novos casos foram detectados nas últimas 24 horas no Distrito Capital (1) e nos Estados venezuelanos de Miranda (2), Bolívar (1), Arágua (1) e Yaracuy (1).

O primeiro dos novos casos registados corresponde a um homem, de 36 anos, que apresentou sintomas a 26 de março, dia em que foi hospitalizado. A transmissão foi comunitária, em Caracas.

Em Miranda, há um enfermeiro de 31 anos de um instituto privado que deu positivo aos testes do novo coronavírus e um outro homem, de 33 anos, residente em El Hatillo, que esteve em contacto com um viajante que chegou de Espanha.

Em Bolívar foi identificada uma mulher estrangeira de 30 anos, que esteve de visita a Espanha e regressou à Venezuela a 8 de março.

Já no Estado de Arágua, deu positivo um homem de 38 anos, residente na cidade de Maracay, que mantinha contacto com um cidadão que esteve de visita no estrangeiro.

E, há ainda uma mulher de 40 anos, de Yaracuy, que esteve em contacto com um familiar que esteve de viagem à Colômbia.

Na Venezuela, as autoridades já tinham confirmado três mortes devido ao novo coronavírus.

A Venezuela está desde 13 de março em “estado de alerta”, o que permite ao executivo decretar “decisões drásticas” para combater a pandemia.

O “estado de alerta” foi decretado por 30 dias, que podem ser prolongados por igual período.

Os voos nacionais e internacionais estão restringidos no país.

Desde 16 de março que os venezuelanos estão em quarentena, estando impedidos de circular livremente entre os 24 Estados do país.

As clínicas e hospitais estão abertos, enquanto farmácias, supermercados, padarias e restaurantes estão a funcionar em horário reduzido, com estes últimos a vender apenas comida para fora.