Assembleia Nacional de França quer fim de plástico descartável e de recibos nas lojas

Paris /
20 Dez 2019 / 08:18 H.

Os deputados franceses aprovaram esta madrugada um projeto de lei para travar o uso de plásticos descartáveis, proibir a destruição de produtos não alimentares que não sejam vendidos e limitar a impressão de recibos em lojas.

O projeto, dedicada à “ecologia quotidiana” e à “perseguição de todos os descartáveis” foi adotado pela Assembleia Nacional, câmara baixa do parlamento francês, e será debatido até ao início de 2020.

O documento exige que os profissionais financiem a gestão de resíduos relacionados com os seus produtos a partir de 2021 para quem produz cigarros, de 2022 para materiais de construção, brinquedos, artigos de desporto e lazer, de bricolage e jardinagem e de 2024 para toalhetes de uso doméstico ou corporal.

O projeto proíbe ainda a utilização, a partir de janeiro de 2023, de recipientes de plástico ou descartáveis para refeições servidas em restaurantes de ‘fast-food’.

A futura lei acaba também com a impressão pelas lojas de recibos para pequenas transações.

A Assembleia Nacional também aprovou a proibição da destruição de bens não vendidos como produtos de higiene e têxteis, que deverão passar a ser doados ou reciclados a partir de 2022.