Região vai completar aquisição de espólio de António Aragão até Setembro

13 Jun 2019 / 22:16 H.

É “em nome da transparência que deve presidir todas as aquisições públicas”, que o filho de António de Aragão informa que, após uma reunião que decorreu nesta quinta-feira, ficou acordado entre o advogado da família e a secretária do Turismo e Cultura, que a Região “vai completar a aquisição até máximo Setembro do corrente ano dos lotes descritos no documento em anexo no presente correio electrónico”.

Num documento enviado para a comunicação social, Marcos Aragão Correia identifica os lotes correspondentes e assume que “são aqueles que a Câmara Municipal do Funchal, sob a presidência de Paulo Cafôfo, tinha deliberado adquirir em Fevereiro de 2015, e que por razões ainda opacas mas de perfis claramente criminosas, acabou por não o fazer”.

“Em consequência, embora se tenha recuperado os lotes que hoje foram agora objecto de aquisição pela Região Autónoma da Madeira, continuam em paradeiro desconhecido todos os restantes, bem como desconhece-se o que em concretou resultou da venda do leilão ocorrido no dia 21 de Fevereiro de 2015, dado que o leiloeiro Ricardo Paulo dos Santos Silva nunca nos apresentou contas nem nunca procedeu à devolução dos lotes não vendidos”, avança ainda.

Além disso, acrescenta que, tendo em conta esta situação, “corre no Tribunal da Relação de Lisboa, nos termos do processo nº 2242/17.0T9FNC, recurso no âmbito do processo-crime que intentámos contra o referido leiloeiro e contra o arguido Paulo Alexandre Nascimento Cafôfo, por suspeita fundada da práticas dos crimes de corrupção activa e passiva, prevaricação, abuso de poder e abuso de confiança”.

Outras Notícias