PCP Madeira defende criação de um plano de emergência social para o Porto Santo

07 Jan 2019 / 14:51 H.

O PCP Madeira apresentou hoje, em conferência de imprensa, um projecto de resolução para a criação de um ‘Plano de emergência social para o Porto Santo’ que será discutido esta semana em plenário.

Nesta iniciativa a deputada Sílvia Vasconcelos afirmou que “a dupla insularidade desta ilha tem implicações de sobrecustos com grandes penalizações sociais e económicas para a sua população, que vão desde o elevado custo de produtos de primeira necessidade a outros, estruturais e permanentes, que colocam a população em desvantagem acrescida, com um nível de vida muito baixo, elevado desemprego e pouca a acessibilidade a serviços, inclusive serviços públicos”.

“É, assim, importante, corrigir estas desigualdades, pois a razão territorial não pode penalizar os portossantenses que têm igual consagração de cidadania”, disse.

O PCP Madeira defende, assim, que num curto prazo se defina um plano de emergência social para aquela ilha, que inclua um conjunto de vectores estratégico que revertam o reduzido índice de compra desta população e consequentemente o maior risco de pobreza, advinda em muito elevado número de desempregados, muitos dos quais sem subsídio de desemprego.

“É necessária uma acção articulada entre o Governo Regional e o Governo da República, assente em medidas que promovam a economia local, a dinamização da área laboral, valorizando aquela ilha no âmbito do seu elevado potencial de desenvolvimento socio-económico e invertendo-lhe o quadro de crise social e económico. Porque a insularidade não pode ser uma fatalidade para os cidadãos”, concluiu.