Miguel Albuquerque: “É bom para a Região que o PSD leve vantagem”

Reacção do presidente do PSD/M aos resultados do primeiro Barómetro Político da Eurosondagem/Montepio às eleições para a Assembleia da República

16 Mar 2019 / 14:15 H.

Miguel Albuquerque ficou satisfeito com o resultado, na Região, das intenções de voto manifestadas no Barómetro Político da Eurosondagem/Montepio sobre as eleições para a Assembleia da República, que coloca o PSD na liderança na Madeira.

“É bom para a Região que o PSD leve vantagem”, reagiu o presidente do PSD-Madeira, à margem de uma iniciativa onde marcou presença na qualidade de presidente do Governo Regional.

Já em relação ao resultado nacional desta ‘sondagem’, que dá ao PS 12% de avanço sobre o PSD e a garantia de maioria absoluta ao trio da ‘Geringonça’ (PS/BE/CDU), Albuquerque minimizou, lembrando que “as sondagens são indicações”. Ao ser questionado se essa indicação era motivo de preocupação, respondeu: “Neste momento o que nós esperamos é que o PSD recupere. O país precisa de uma alternativa de Governo”, concretizou.

O DIÁRIO publica na edição deste sábado que se as eleições para a Assembleia da República fossem no momento presente, o PS (37,3%) venceria com confortável vantagem sobre o PSD (25,2%). As intenções de voto neste primeiro Barómetro Político da Eurosondagem/Associação Mutualista Montepio, hoje publicada, revela ainda a maioria absoluta da esquerda unida nas intenções de voto. PS, BE e CDU somam 52,5%.

Realidade diferente aconteceria na Madeira. Na estratificação por regiões, o PS registaria o pior resultado na Madeira, região onde o PSD teria o melhor desempenho. A projecção dá aos social-democratas 34,2% e 31,6% aos socialistas, sendo que a diferença entre ambos é inferior ao erro máximo da amostra. O CDS tem 10,5% e CDU e BE 5,3% cada.

Sobre estes resultados, e conforme esclarece a notícia publicada na edição impressa do DIÁRIO, há a ter em conta que “embora passe a contar com as Regiões Autónomas, a quota das mesmas nesta amostra não é, nem poderia ser, significativa. Neste primeiro barómetro há 48 entrevistados que votam na Madeira e que representam apenas 4,7% no estudo.