Os anjos também vestem verde

16 Abr 2019 / 02:00 H.

    Aproveito a oportunidade, que me é dada por este diário, para expressar publicamente a minha gratidão a alguns “anjos verdes” que, em boa hora, apareceram no meu caminho há poucos dias a esta parte. Desconheço os seus nomes,mas isso não é importante, pois a simpatia, educação e sentido profissional são a sua principal identificação.

    Tenho a firme convicção que os profissionais a que me refiro, quase no fim do seu turno de trabalho, no dia onze do mês em curso, no Hospital Nelio Mendonça, estariam exaustos, por razões óbvias. Porém, como verdadeiros profissionais que são, não permitiram que isso se reflectisse no seu desempenho. Bem pelo contrário. Acolheram é trataram o doente e seus familiares com extrema simpatia e dedicação, minimizando, de certa forma a sua natural ansiedade. Pudéssemos nós, em cada Centro de saúde, em cada enfermaria dos nossos hospitais, poder contar com pelo menos um destes “anjos. Na presença de atitudes como as vossas, a cadeira partida, as paredes sem tinta, as portas e janelas degradadas não têm a mínima importância. Por isso, o NOSSO MUITO OBRIGADO.

    Para os que não vivem a sua profissão com brio, (porque também os encontrei no mesmo local, em dias diferentes) procurem não descarregar nos doentes as vossas frustrações e preocupações pessoais. Parem e pensem, que um dia qualquer, a qualquer momento, a situação pode inverter-se, passando de cuidadores a cuidados. Neste mundo de incertezas, a única certeza que temos é que nenhum de nós ficará por aqui indefinidamente. A rota da nossa viagem já foi determinada. Como ,e quando, será o fim está em aberto.

    Que tal começar a procurar baixar alguns decibéis no tom de voz,ao falar uns com os outros,pelos corredores do hospital, junto das enfermarias onde se encontram doentes acamados, privilegiando o silêncio?Há que ter em conta determinado tipo de vocabulário e a forma como nos exprimimos,sob pena de magoarmos as pessoas na sua dignidade. Os mais vulneráveis, os mais fragilizados, sejam velhos ou novos, são os que requerem maior apoio e não o inverso. Quantas vezes, um sorriso apenas tornaria melhor o dia de alguém...Ou talvez,a retribuição de um “bom dia,boa tarde,boa noite.”..Facílimo. E sem custos.Apenas um bocadinho de boa educação, em detrimento de alguma altivez. (?)Podemos parar para perguntar:”E se fosse comigo?”

    Páscoa Feliz,mas sobretudo uma “saúde de ferro”!

    Madalena Castro

    Outras Notícias