Como ser treinador de futebol

08 Nov 2018 / 02:00 H.

    Se pretendes ser treinador de futebol, começa por baixo. Como cobrador, porteiro, roupeiro e mantém-te atento por lá, até que surja uma crise no clube que te alberga na B, ou por quem torces na A. Porém terás que ir aprendendo umas coisas básicas. Melhorar o teu léxico é fundamental. Deves ter em conta a linguagem e enriquecê-la o mais que puderes com termos ridículos de tão vazios, mas apropriados. Não é preciso grande esforço nem boa memória. Basta acumulares umas quantas palavras ou frases que se aprendem rapidamente, depois de prestares atenção às entrevistas dos já consagrados “mister´s” plásticos, com currículo viciado, e com ou sem títulos. Mal as tenhas assimilado, divulga-os em espaços públicos. Por exemplo cafés, tascas, praias, feiras, barracas com matraquilhos, mercados a retalho e a grosso, e espera pela oportunidade. Insinua-te sem pudor, junto de repórteres desportivos, comentadores de tv aos magotes, e saloios de bancada. As palavras a juntar ao teu vocabulário são as que virás a precisar nas flash´s-interviews logo após os jogos a que fores chamado, já a orientar:- identidade; critério; baixar e subir as linhas; autocarro; levantar a cabeça; vamos reagir; sermos mais eficazes; temos já que; honrar a camisola; sabíamos do valor do adversário; a equipa ressentiu-se, lesões; banco; vínhamos para ganhar mas; desta vez não tivemos sorte; poste e barra; relvado; a arbitragem; o penalti não marcado ou falhado; a equipa nervosa depois de sofrer golo; falhamos à boca da baliza; o melhor foi o guarda redes contrário; as melhores oportunidades foram nossas; temos que ir buscar pontos fora; sermos sérios; etc. Mas sobretudo nunca esqueças os substantivos, critério, identidade, personalidade. Fundamental regra para fechares um contrato que te abrirá as portas do sucesso em qualquer equipa de futebol em crise, e a precisar de líder que substitua o despedido na véspera, com trabalho feito de que tu tirarás proveito, chamando a ti os louros da vitória, mal ela surja sem saber ler nem escrever. Usa da arrogância q.b. Se tiveres por lá o pai, ex glória do clube, melhor ainda. O apelido ajuda. Vai em frente, que a baliza é do outro lado. Ah! Atitude...muita atitude!

    Joaquim A. Moura

    Outras Notícias