Rúben Ferreira pede desculpa, mas lamenta atitude de alguns adeptos

10 Dez 2019 / 22:07 H.

Rúben Ferreira pede desculpa pela “atitude” nos instantes finais do jogo com o Santa Clara, após o golo do empate (2-2), mas lamenta a reacção de alguns adeptos. Através das redes sociais, o defesa do Marítimo manifestou-se desagradado com os assobios desde que regressou ao emblema verde-rubro.

“Desde o meu regresso ao Marítimo, sempre que entrei em campo sempre fui assobiado, sempre fui enxovalhado por a “tal” maioria dos adeptos, mas isso até é uma coisa em que nós jogadores temos que saber lidar! E como tudo por vezes o que é demais ou em demasia enjoa, neste último encontro em casa tive uma atitude que assumo, não ser a mais correta perante as circunstâncias do jogo”, escreveu Rúben Ferreira no facebook.

“Quero desde já pedir as minhas desculpas não a todos os adeptos porque nem todos me criticaram nem todos me assobiaram e esses sim não tem culpa da minha atitude”, garante o jogador madeirense.

Rúben Ferreira reforça a sua ideia: “Felizmente tenho adeptos que me admiram e que me apoiam quando me encontram pela rua! Aos outros que se acham “bem educados” porque esses passaram o jogo a chamar “Filho da p.... nojento... porco... etc etc Aos mesmos quero deixar bem claro que NÃO MANDEI NINGUÉM “MAMAR NO DEDO” como diz aqui neste post por um Dito sócio. Quando celebrei primeiro não tive a melhor atitude para com alguns adeptos como já referi e segundo, a minha família MULHER E FILHOS, estavam no camarote a assistir ao jogo, e esta minha celebração foi para o meu filho, a qual dediquei o meu 1 golo depois da sua nascença! Fico incrédulo como é que em pleno século XXI ainda a pessoas a cair em certas conversinhas”.

“Infelizmente no futebol nem sempre as coisas são um mar de rosas. Por vezes estamos lá em cima e somos os maiores, outras vezes as coisas por várias razões não sai da maneira como nós desejávamos, mas isso é como tudo na vida!”, acrescenta Rúben Ferreira.

O jogador sublinha também um lamento: “Desde a minha saída do Clube Sport Marítimo, para o Vitória de Guimarães os adeptos (alguma maioria) nunca mais viu me da mesma maneira e nunca perceberam nem tentaram perceber, 1° o porque de eu sair qual a razão que me levou a sair da Madeira. 2° sempre tive o sonho de poder sair da ilha e experimentar um novo desafio”.

Tópicos