Curto-circuito no ar condicionado não atinge arquivo morto de gabinete de contabilidade

Incêndio na 31 de Janeiro não fez estragos, garante o empresário

09 Nov 2018 / 13:08 H.

Um curto-circuito na caixa exterior de um velho ar condicionado terá estado na origem do incêndio combatido esta manhã na Rua 31 de Janeiro pelos Bombeiros Voluntários Madeirenses. O proprietário do Gabinete de Contabilidade contactou o DIÁRIO para explicar o que se passou e revelou que não houve danos, tendo o fogo sido apagado mesmo onde começou, na varanda.

O Gabinete de Contabilidade M Baptista funciona na Rua da Figueira Preta, o espaço na Rua 31 de Janeiro é um arquivo morto dos serviços, um espaço para guardar documentos, disse Manuel Baptista. Terá sido no ar condicionado que se encontrava, segundo o proprietário, desligado há mais de 12 anos e que tinha os fios ressequidos que terá começado o fogo.

Dada a natureza da informação ali contida, a Polícia Judiciária foi chamada ao local, para apurar se houve ou não mão criminosa neste caso, assim como dois funcionários dos serviços de Finanças também lá estiveram, contou. Segundo Manuel Baptista, o processo deverá ser arquivado.

O empresário explica que não tinha ainda retirado o ar condicionado apenas para não ficar um buraco na parede, mas que o velho equipamento já há muito estava desligado e por isso nem o considera uma perda.

“Está tudo intacto”, garantiu.