Sindicato dos Jornalistas volta a alertar RTP para desmotivação de trabalhadores

23 Jul 2018 / 22:01 H.

O Sindicato dos Jornalistas voltou a alertar a administração da estação pública RTP para a “desmotivação dos trabalhadores” devido a questões como os atrasos na progressão na carreira ou na integração de precários, foi hoje divulgado.

Em comunicado, o Sindicato dos Jornalistas dá conta de uma reunião com a administração da RTP, que ocorreu na passada quarta-feira, na qual esta estrutura reiterou “as suas preocupações quanto à depauperização dos recursos humanos e técnicos que asseguram o serviço público de rádio e televisão”.

Desde logo, o sindicato “recordou que há várias dezenas de jornalistas à espera de resposta sobre o descongelamento ou a progressão na carreira”, estando atualmente “colocados num nível de desenvolvimento completamente distorcido em relação às suas reais práticas profissionais”.

O novo Conselho de Administração da RTP - composto por Gonçalo Reis (presidente), Hugo Figueiredo e Ana Fonseca -, respondeu que “tem havido um aumento da massa salarial e deu como exemplo a atualização que os trabalhadores tiveram em janeiro”, argumento que o sindicato contestou, alegando que isso “não decorreu de uma progressão na carreira, mas sim de uma reposição de direitos, em resultado da Lei do Orçamento do Estado”, conta o sindicato.

Além disso, “o Conselho de Administração da RTP informou que está a analisar, em conjunto com as várias direções, a listagem de casos apresentada pelo Sindicato dos Jornalistas, mas, quando questionado diretamente, adiantou ser muito difícil proceder a reenquadramentos em 2018”, acrescenta a estrutura no comunicado.

Outra questão abordada na reunião foi a dos trabalhadores precários, com o sindicato a considerar “completamente injustificada a demora na resolução da situação”.

No encontro, o sindicato realçou também a “postura de bloqueio da empresa relativamente aos processos judiciais que resultaram da inspeção da Autoridade para as Condições do Trabalho e à análise de casos no âmbito do PREVPAP [Programa de Regularização Extraordinária dos Vínculos Precários na Administração Pública]”.

Apontando a existência de “130 casos já aprovados e de 250 que serão reanalisados a partir de setembro/outubro” no âmbito do PREVPAP, o Sindicato dos Jornalistas lembra que “o prazo legal para a integração terminou a 31 de maio e que até agora não foram dadas explicações oficiais quer sobre o incumprimento, quer sobre novos prazos”.

Sobre esta questão, a administração da RTP “disse que ainda não foi notificada formalmente do desfecho dos processos, mas assegurou que está disposta a regularizar a situação, mal a tutela dê instruções de integração”.

Outras Notícias