Venezuela adopta dias fixos para pensionistas receberem reformas

14 Mar 2018 / 07:30 H.

Os reformados, nacionais ou estrangeiros radicados na Venezuela, apenas vão poder fazer o levantamento do dinheiro das pensões e reformas num dia do mês predefinido, condicionado pelo último número do documento de identificação.

Esta medida, que entra em vigor a partir de 20 de Março, foi anunciada pela Superintendência de Instituições do Setor Bancário (Sudeban), e é adoptada depois de a imprensa local alertar que os idosos fazem fila de até dois dias para poderem levantar o dinheiro das pensões.

“A partir da terça-feira, 20, entrará em vigor um novo plano piloto de pagamento de pensões pelo (número) terminal da cédula”, explicou a Sudeban.

Em comunicado, o organismo regulador do sector bancário explica que os bancos já foram informados de que este mês os dias 20, 21 e 22 de Março vão ser os preferenciais para pagamentos a pensionistas.

Segundo a imprensa local, tem havido casos de reformados que passam até dois dias em fila de espera para cobrar as pensões. Durante essa espera têm ocorrido casos de desmaios e desidratação.

Pelo menos duas pessoas morreram, desde janeiro, na fila de esperar para cobrar a pensão, segundo a imprensa local.

Entretanto, tem-se agravado a falta de dinheiro em notas nas instituições bancárias.

Nos últimos dias os bancos têm permitido aos clientes levantar a quantia de 10 mil bolívares (à volta de 0,20 euros à taxa oficial mais alta), uma vez à semana.

Na Venezuela a passagem de autocarro mais barata é de 2.000 bolívares (0,04 euros) em cada sentido e um café custa 70 mil bolívares (1,4 euros).

Uma hora de estacionamento está entre 5.000 (0,1 euros) e 8.000 bolívares (0,16 euro).

Outras Notícias