Viticultores da Madeira reclamam pagamento das suas colheitas

Em comunicado dirigido à imprensa, os produtores madeirenses tecem duras críticas à Secretaria Regional da Agricultura

27 Dez 2017 / 09:26 H.

“Hoje já é dia 27 de Dezembro de 2017 e os viticultores da Madeira ainda esperam pelo pagamento das suas colheitas”, introduz, acusatório, um comunicado assinado pelos Viticultores Unidos da Madeira.

De acordo com este documento, trata-se da primeira vez que tal acontece, deixando de “bolsos vazios”, muitos viticultores que “estavam contando com este dinheiro para pagar contas e fazer as suas compras de Natal”.

Os viticultores questionam também o facto de “aumentam os lucros das casas de vinho e as exportações de Vinho Madeira”, ao mesmo tempo que “os viticultores estão cada vez mais pobres e explorados”. “Exigem-nos fazer IRS, pagar segurança social, fazer cursos para tudo e mais alguma coisa e depois andamos aflitos para vender as nossas uvas cujo custo de produção é cada vez mais elevado porque a mão-de-obra é cada vez mais cara, os fertilizantes e os produtos para combater as pragas da vinha também estão cada vez mais caros mas os nossos lucros são cada vez mais reduzidos”, replica a mesma nota.

Por outro lado, são dirigidas duras críticas ao executivo regional, nomeadamente ao secretário Humberto Vasconcelos, que acusam de estar a “causar estragos na agricultura, pecuária e pescas da Madeira como um elefante solto dentro de um armazém de porcelanas”.

Claramente insatisfeitos e recordando erros passados, os viticultores madeirenses qual o motivo da ausência de pagamento.