Roberto Almada diz que o galardão de melhor destino insular “não se reflecte nos salários”

11 Dez 2017 / 15:18 H.

O Bloco de Esquerda reuniu esta manhã com a União de Sindicatos da Madeira (USAM), a fim de apurar quais os problemas que preocupam esta organização.

“Num dia que em que soubemos que a Região foi novamente considerada a melhor Região insular do Mundo, saímos daqui desta reunião com esse contentamento, mas com uma preocupação, que nos diz que esse galardão não se reflecte nos salários dos trabalhadores, por exemplo, da hotelaria”, disse Roberto Almada à saída da reunião.

De acordo com o esquerdista, “na melhor Região insular do Mundo, por vários anos, os salários dos trabalhadores da hotelaria e do turismo continuam a ser salários muito insatisfatórios” e “era bom que o Governo Regionais e as entidades patronais no ramo da hotelaria e do turismo tivessem atenção” a esse indicador.

Ainda assim houve outras questões em cima da mesa. “Saímos desta reunião com outras preocupações, que a precariedade em vários sectores está a aumentar”, avançou Roberto Almada, dizendo que “a própria Administração Pública tem trabalhadores a recibos verdes e precários”, pedindo de seguida que se resolva esta questão.