PSD quer devolver IRS às famílias

07 Dez 2017 / 17:12 H.

O pacote fiscal para 2018 foi votado, esta quinta-feira, pelos vereadores da Câmara Municipal do Funchal, com a abstenção do CDS e PSD. Rubina Leal falou aos jornalistas, no final da reunião, para clarificar a posição dos social-democratas.

“A nossa posição relativamente ao pacote financeiro, hoje apresentado, foi de abstenção porque consideramos que é em sede de Assembleia Municipal que vamos discutir o Orçamento e que este mesmo será aprovado”, explicou a vereadora, sublinhando que esta reunião serviu para o PSD apresentar sete propostas “concretas” de investimento social, que correspondem a “mais ou menos 8,4 milhões de euros do Orçamento do Município”.

Entra estas medidas, Rubina Leal destaca “a diminuição da carga fiscal das famílias”, defendendo que o Município deve devolver 4 a 5% do IRS.

Relativamente às restantes propostas, os vereadores de Câmara do PSD propõem: o apoio domiciliário aos idosos, à renda, à aquisição de medicamentos e, sobretudo, à natalidade; a atribuição de bolsas e manuais escolares aos alunos provenientes de famílias com dificuldades económicas; a formação em contexto social e de trabalho e, por fim, a extinção do imposto da derrama.