JS Madeira realizou Roteiro da Coesão Territorial nos concelhos de Machico e Porto Moniz

23 Jul 2018 / 16:51 H.

A Juventude Socialista Madeira deu seguimento ao seu Roteiro da Coesão Territorial, nos dias 20 e 21 de Julho.O primeiro dia foi dedicado ao concelho de Machico, onde o roteiro teve como primeira paragem a freguesia do Porto da Cruz. Foi feita uma visita ao Engenho do Porto da Cruz, seguindo-se um encontro com os autarcas e militantes do PS Machico, no Caniçal, visita à Zona Franca e à fábrica Insular, e uma audiência com o Presidente da Câmara de Machico.

Olavo Câmara, Presidente da JS Madeira, referiu que o objectivo da visita era “mostrar os bons exemplos do que se faz neste concelho, que cultivam uma melhor coesão territorial do país e da região”.

Para o Presidente da JS Madeira, o Roteiro da Coesão Territorial “tinha de passar por esta freguesia, não só pelo bom exemplo e mais valia do Engenho do Porto da Cruz para a freguesia, em termos de criação de riqueza e emprego, mas também pelo polo de atracção turístico e dinamização da economia local, especialmente após o abandono desta freguesia pelo Governo Regional, depois do temporal de 2013”. A visita ao Porto da Cruz foi acompanhada pelo Presidente da Junta de Freguesia, Duarte Fernandes.

No segundo dia, o Roteiro da Coesão Territorial dirigiu-se para norte, nomeadamente para o concelho do Porto Moniz. A comitiva da JS foi recebida na Câmara Municipal do Porto Moniz, seguida de um almoço/convívio com os autarcas e direcção do PS Porto Moniz. Durante a tarde, tiveram uma experiência de canyoning, como exemplo das potencialidades do Norte, e por fim uma visita aos Vinhos Terras do Avô.

“O Porto Moniz representa um bom exemplo do motivo pelo qual surgiu a necessidade do Roteiro da Coesão Territorial da JS, devido aos problemas que enfrenta quanto à fixação da população e a baixa taxa de natalidade, problemas transversais a todos os concelhos da costa norte da região, que precisam urgentemente de políticas de coesão e estratégias a longo prazo para resolver estas questões”, salientou Olavo Câmara que vê as autarquias do norte da Madeira, umas mais do que outras, a “aplicar dentro das suas possibilidades medidas que visem esbater estes problemas, desde políticas de natalidade, emprego e promoção dos seus concelhos, no entanto insuficientes”.

Diz mesmo que “enquanto não houver vontade e intervenção do Governo Regional, com políticas transversais, integradas, efectivas e gerais, a costa norte continuará a sofrer estes problemas” tendo o jovem socialista lembrado que “não é com o encerramento de escolas e serviços que o Governo Regional vai fixar a população na costa norte”.

O Roteiro da Coesão Territorial reuniu ainda com o Eng. Duarte Caldeira, na freguesia do Seixal, numa visita aos vinhos Terras do Avô, com o objectivo de debruçar sobre a agricultura, os seus problemas e desafios, bem como as potencialidades de desenvolvimento da costa norte da Madeira. Um história de sucesso, contada na primeira mão, que resultou da aposta na qualidade e excelência na produção do vinho, bem como da dedicação e perseverança no projecto que já conta com prémios internacionais.

Outras Notícias