JPP defende protecção da tradição dos fachos em Machico

15 Jan 2018 / 10:49 H.

Discute-se esta terça-feira, na Assembleia Legislativa da Madeira (ALRAM), o projecto de resolução da autoria do Grupo Parlamentar do Juntos pelo Povo (JPP), que pede a “Inventariação, classificação e divulgação dos fachos de Machico enquanto património cultural imaterial”. O deputado Carlos Costa salientou que com esta iniciativa o JPP pretende proteger o património cultural único e raro da Região:

“Oriundo dos séculos 16 e 17, como forma de comunicação para prevenção e alerta da população, sobre a investida dos corsários, a tradição dos fachos é um evento histórico, que tem sido evidenciado e representado nas festividades religiosas do Santíssimo Sacramento em Machico. Mas até quando? Por isso, surge a necessidade de inventariar e classificar, no sentido de preservá-lo e valorizá-lo para as futuras gerações. Este é um testemunho com valor incalculável de civilização e de cultura”.

Com este objectivo de protecção, o deputado do JPP defende “o registo patrimonial de classificação e de inventariação, com base no Regime Jurídico de Salvaguarda do Património Cultural Imaterial da RAM, que potencia estes pedidos de inventariação”, que será solicitado por via da Assembleia Regional.

“Esperamos que seja aprovado, para que não se perca esta tradição secular, da Madeira e do Porto Santo, actualmente só representada em Machico e que, por isso, precisa ser rapidamente protegida e valorizada”, salvaguardou Carlos Costa, esta manhã, em conferência de imprensa na ALRAM.

Tópicos