Líder de movimento extremista Mário Machado diz que “é alvo a abater”

Lisboa /
10 Ago 2019 / 18:48 H.

O líder do movimento de extrema-direita Nova Ordem Social (NOS), Mário Machado, disse hoje que “é um alvo abater”, acusando aqueles que tentaram boicotar a organização do congresso de grupos extremistas em Lisboa.

Mário Machado falava durante uma conferência com representantes de seis partidos e movimentos europeus de extrema-direita, numa unidade hoteleira em Lisboa.

“Nós somos um alvo a abater, temos consciência disso”, afirmou o dirigente, enquanto lembrava que a NOS foi a única organização política a ser expulsa do Facebook.

Para o líder da Nova Ordem Social, o Grupo Altis tentou ainda manter o congresso “de uma forma ardilosa durante 15 dias, para o depois cancelar” um dia antes. A iniciativa estava marcada para o hotel Altis, em Belém, segundo a organização.

O evento intitulado de “conferência nacionalista” contou com a presença de seis partidos e movimentos europeus de extrema direita: Mário Machado, Josele Sánchez (Espanha), Blagovest Asenov (Bulgária), Francesca Rizzi (Itália), Mattias Deyda (Alemanha), Yvan Benedetti (França). Adrianna Gasiorek (Polónia), que tinha presença confirmada, não compareceu no congresso.

Com cerca de 70 pessoas, a conferência de movimentos de extrema-direita teve como objetivo trocar ideias sobre o futuro da Europa e combater a corrupção.

O encontro motivou ainda uma contramanifestação, promovida por grupos antifascistas, que se realizou, esta tarde, no centro da cidade de Lisboa.

Em protesto, um total de 65 organizações antifascistas, 28 portuguesas e 37 estrangeiras, subscreveram um manifesto contra a “conferência nacionalista” e lançaram uma petição pública eletrónica apelando à proibição da iniciativa.

A concentração fez-se na Praça Luís de Camões, por volta das 14h30, mas a manifestação começou algum tempo antes, no Largo do Rossio, pelas 13:00, sendo que entre um sítio e outro estiveram presentes mais de duas mil pessoas, segundo a organização.

Na Praça Luís de Camões, mesmo no coração de Lisboa, ouviram-se gritos de ordem contra o líder do movimento de extrema-direita Nova Ordem Social, Mário Machado, contra o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, ao mesmo tempo que eram visíveis cartazes com frases como “25 de Abril Sempre! Fascismo Nunca Mais!”, “Não Passarão” ou “Os imigrantes ficam, saiam vocês”.

Outras Notícias