Polícia indonésia detém 185 pessoas suspeitas de provocar incêndios no país

16 Set 2019 / 12:24 H.

A polícia indonésia deteve 185 pessoas suspeitas de provocarem os incêndios que têm provocado uma vasta nuvem de fumo tóxico na região, prejudicando a qualidade do ar e perturbando as ligações aéreas.

“No total, abrimos investigações a 185 indivíduos e quatro empresas”, disse o porta-voz da Polícia Nacional, Dedi Prasetyo, aos repórteres em Jacarta.

“A polícia indonésia aplicará a lei contra qualquer pessoa que queime florestas ou terras, intencionalmente ou por negligência”, disse Prasetyo.

A Indonésia mobilizou cerca de 9 mil bombeiros e soldados com helicópteros para tentar extinguir os incêndios que devastam as florestas tropicais em Sumatra e também em Bornéu.

Na semana passada, as autoridades fecharam várias dezenas de plantações afectadas por incêndios, para investigar e alertar os proprietários, indonésios, mas também malaios ou cidadãos de Singapura, de que poderiam ser processados em caso de incêndio criminoso.

Os incêndios mais difíceis de apagar são os das áreas secas de turfeiras, que queimam profundamente e emitem uma grande quantidade de fumo.

No centro da ilha de Bornéu, o fumo espesso dos incêndios deteriorou seriamente a qualidade do ar.

O Índice de Qualidade do Ar (AQI), que mede a concentração de partículas finas PM2.5, saltou para 2 mil na cidade de Palangkaraya no domingo, segundo a organização Greenpeace. Um nível raramente alcançado e “perigoso” para a saúde.

Devido à falta de visibilidade, a companhia aérea nacional Garuda cancelou dezenas de voos para Bornéu.

A sua concorrente, a companhia aérea de baixo custo Lion Air cancelou cerca de 160 voos para Bornéu durante o fim de semana.

Devido ao fumo tóxico emitido pelos incêndios, cerca de 150 mil pessoas tiveram que ser tratadas por infecções respiratórias agudas nos últimos meses, disseram as autoridades de saúde da Indonésia.

Embora os incêndios florestais ocorram anualmente na Indonésia, cresceram este ano devido a uma estação seca particularmente longa e intensa.

Com 328.000 hectares queimados desde o início do ano, esses incêndios são os piores desde os particularmente devastadores de 2015.

A nuvem de fumo que se espalha por uma vasta região também criou tensões diplomáticas com os países vizinhos, Malásia e Singapura.

Pela primeira vez em três anos, no sábado, o nível de poluição atingiu níveis insalubres em Singapura.

Outras Notícias