Protesto silencioso no Funchal junta 30% do efectivo da PSP Madeira

Os agentes da PSP estão em frente à residência oficial do Representante da República numa acção de protesto

13 Mar 2019 / 18:44 H.

É uma das maiores acções de protesto dos profissionais da PSP na Madeira. Perto de um terço dos efectivos da PSP que trabalham na Região concentraram-se na tarde desta quarta-feira em frente ao Comando Regional da PSP, numa manifestação silenciosa que seguiu marcha até ao Palácio de São Lourenço, no Funchal, residência oficial do Representante da República.

Muitos dos agentes apresentavam-se com fita adesiva na boca num protesto cuja organização não foi assumida por nenhum sindicato em concreto. Um porta-voz remeteu mais esclarecimentos para um comunicado que será divulgado em breve.

Esta é um de várias concentrações levadas a cabo pelos sindicatos da PSP, a última das quais reuniu mais de uma dezena de estruturas sindicais a 22 de Outubro de 2018.

A reposição dos suplementos retirados aquando do gozo das férias; o reforço do efectivo policial e pré-aposentação aos 55 anos e aposentação aos 60 anos; a atribuição dos índices remuneratórios de acordo com o tempo de serviço e avaliação no posto actual; a atribuição de Subsídio de Risco; a atribuição de Subsídio de Turno, Subsídio Nocturno, domingos e feriados pagos; uma tabela única para serviços remunerados de 2.ª a 6ª feira (50€ / 4 horas); e o reforço e reparação de material de trabalho (esquadras, viaturas, material de ordem pública(, estão no topo das reivindicações dos polícias.

Outras Notícias