Madeira sem casos de infecção nos seus 35 lares de idosos

09 Abr 2020 / 18:41 H.

Nos 35 lares de idosos da Madeira, que acolhem 1.381 utentes, não foi registado até hoje qualquer caso de infecção com covid-19, disse à Lusa a secretária da Inclusão e Cidadania.

Augusta Aguiar referiu que a região tem cinco lares geridos pela Segurança Social da Madeira (ISSM) e outros 30 estabelecimentos privados ou sob a responsabilidade de instituições particulares de solidariedade social.

No seu entender, para a inexistência, até agora, de infectados nestas instituições contribuiu o facto de “o Governo Regional, desde a primeira hora, ter dedicado total atenção à população idosa ali residente, pela sua especial vulnerabilidade no actual contexto da pandemia”.

Tendo em conta as medidas de restrição de mobilidade impostas, há 22 enfermeiros e dois médicos que estão afectos exclusivamente aos lares, que têm um total de 1.344 funcionários. Está em análise uma forma de reforçar estes elementos.

“Os lares sob a tutela do ISSM têm os seus planos de contingência para a covid-19 elaborados e implementados desde o dia 9 de Março, existindo inclusive algumas medidas preventivas em vigor antes dessa data, nomeadamente o encerramento das valências de centro de dia e de convívio e a suspensão das visitas a utentes residentes”, explicou Augusta Aguiar.

A governante madeirense adiantou que aos lares privados “foram dadas orientações para que estes colocassem em prática os seus próprios planos de contingência”.

Entre as medidas adoptadas para proteger esta faixa da população mais vulnerável, indicou, estão o encerramento das valências de centro de dia e de convívio, e a suspensão de visitas aos utentes residentes, alguns dos quais contactam as famílias - “que têm colaborado desde a primeira hora” - por videochamada.

Foi ainda implementado o isolamento social para todos os residentes, na impossibilidade de saída das estruturas residenciais, excepto quando ocorram situações de emergência médica, casos em que este o utente é colocado em quarentena no seu regresso ao lar, antes de retornar ao quarto de origem.

A secretaria regional também reorganizou os recursos humanos dos lares, “de forma a ter equipas em espelho, que se substituem”.

Houve um reforço das equipas dos lares com pessoal afecto aos centros de dia, já que estes se encontram encerrados, e foram criadas salas de isolamento nas estruturas residenciais para idosos, além da promoção de acções de sensibilização e formação para cumprimento das regras de etiqueta respiratória e lavagem correcta das mãos, para residentes e trabalhadores. Além disso, houve uma reorganização das actividades diárias, como a limitação da lotação dos refeitórios e restantes espaços comuns, de forma a cumprir o distanciamento social recomendado.

O reforço de dispensadores de desinfectante anti-séptico para desinfeção das mãos nos locais de maior circulação, a intensificação das medidas de higienização dos espaços, e o controle ambiental e nas entradas dos trabalhadores foram outras medidas aplicas.

A secretária regional apontou que houve necessidade de definir um procedimento específico para fornecimento de bens e serviços aos lares, suspendendo os bens disponibilizados através de máquinas para “restringir as entradas de fornecedores ao estritamente necessário”.

“Tem existido uma articulação com a Secretaria Regional da Saúde e Protecção Civil no sentido de serem garantidos os materiais de protecção aos funcionários e utentes dos lares”, assegurou.

A realização dos testes de despiste é da alçada da Secretaria da Saúde da Madeira, tendo o titular deste departamento anunciado em 6 de Abril que em breve “vão ser realizados inquéritos epidemiológicos e controlo de temperatura em todos os lares da Madeira”, o que acontecerá juntamente com a distribuição de máscaras que a região já está a fabricar.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infectou mais de 1,5 milhões de pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 87 mil.

Em Portugal, segundo o balanço feito hoje pela Direcção-Geral da Saúde, registaram-se 409 mortes, mais 29 do que na véspera (+7,6%), e 13.956 casos de infecções confirmadas, o que representa um aumento de 815 em relação a quarta-feira (+6,2%).

De acordo com dados do Instituto da Administração de Saúde da Madeira (Iasaúde), existem 50 infectados na Região, não havendo novos casos a registar esta quinta-feira.