Madeira participa na 5.ª reunião de consórcio do Projecto SMILE

18 Jul 2019 / 15:18 H.

Quatro parceiros da Madeira (ACIF, EEM, MITI e PRSMA) do projecto SMILE (SMart IsLand Energy systems) participaram, no início do mês, em Salónica - Grécia, na 5.ª reunião de consórcio para analisar a actividade dos primeiros 26 meses do projecto, bem como definir detalhadamente a actividade para os próximos 6 meses.

Recorde-se que o projecto SMILE é co-financiado pela Comissão Europeia, ao abrigo do programa Horizonte 2020 (Tópico LCE-02-2016 - Demonstration of smart grid, storage and system integration technologies with increasing share of renewables: distribution system) e as quatro entidades da Madeira têm estimado um orçamento total de 2,4 milhões para executar as actividades candidatadas.

O Projecto teve início em Maio de 2017 e terá a duração de quatro anos, envolvendo 19 parceiros de 6 países, e um orçamento global de cerca de 14 milhões de euros.

O SMILE pretende testar diferentes soluções inovadoras, tecnológicas e não tecnológicas, em três ilhas Europeias (Madeira, Orkneys na Escócia e Samsø na Dinamarca), que são projetos-piloto para demonstração de redes eléctricas inteligentes, abrindo caminho para a sua introdução no mercado num futuro próximo.

As soluções são variadas e incluem integração de baterias, aquecimento, acumulação de energia hídrica, veículos eléctricos, armazenamento de energia em barcos e tarifas dinâmicas.

Cada piloto testará as soluções mais apropriadas para as especificidades locais.

Segundo nota da ACIF, responsável pela coordenação do trabalho desenvolvido na Região, pela agregação da informação produzida, bem como o seu impacto no sector empresarial, a Madeira distingue-se das outras duas ilhas envolvidas, pelo facto de não ter qualquer ligação ao território continental, no que diz respeito ao abastecimento de energia eléctrica (autonomia total).

Na ilha da Madeira, o SMILE irá focar-se em três pilares fundamentais: a microprodução, o autoconsumo com armazenamento (baterias de iões de lítio) e a mobilidade eléctrica (carregamento inteligente – “smart charging”).

Esta combinação irá permitir o estudo e futura implementação, de pequenas redes inteligentes locais (”smart-grids”) na ilha da Madeira, aumentando a produção descentralizada renovável aliada a uma gestão inteligente da energia, garantindo o abastecimento, a segurança e a qualidade. Neste enquadramento, já está em fase de conclusão a instalação de um sistema de armazenamento de energia através de baterias (BESS) de 40kW/80kWh no Posto de Transformação (PT) público da Fazendinha, no Estreito da Calheta, o qual recebe uma contribuição importante de microprodução (UPP) fotovoltaica dessa área geográfica.

Complementarmente a este sistema, serão também instaladas brevemente baterias em algumas residências e num estabelecimento comercial que já produzem electricidade para consumo próprio (UPAC) através de painéis fotovoltaicos.

No que se refere ao desenvolvimento do carregamento inteligente (smart charging) para veículos eléctricos, foi criada uma solução técnica, a qual está a ser alvo de testes e simulações desta tecnologia inovadora em locais privados de carregamento de veículos eléctricos, nomeadamente numa empresa de animação turística que promove passeios turísticos utilizando veículos eléctricos e na garagem da EEM-Empresa de Electricidade da Madeira, S.A., que conta com uma frota eléctrica permanente neste local, de aproximadamente 10 veículos.

A ACIF é responsável pela coordenação do trabalho desenvolvido na Região. Já a componente científica está a cargo do M-ITI, responsável pela análise dos dados gerados a partir de inovadores contadores inteligentes (smart-meters), bem como das reacções dos utilizadores. A tecnologia de contagem é fornecida pela empresa Prsma, tendo a EEM-Empresa de Electricidade da Madeira S.A como principal função a integração destas novas tecnologias na rede eléctrica, bem como prestar todo o apoio técnico e logístico relacionado com as tecnologias de gestão da rede pública.

Outras Notícias