Já há “espezinhamento dos direitos laborais”

30 Mar 2020 / 12:08 H.

O PCP concorda com muitas das medidas que têm sido tomadas de combate à Covid-19, mas alerta para o facto haver “espezinhamento dos direitos laborais”.

Ricardo Lume lembrou palavras do papa que se insurgiu contra os despedimentos e lembrou os milhares de precários que existem na Região.

O deputado pediu, igualmente, que Calado esclarecesse se só estavam suspensas as obras públicas ou também as particulares.

Na resposta, o vice-presidente disse que, nas actuais condições, “é impensável o discurso de manutenção dos mesmo direitos e regalias” laborais. Calado deu o exemplo das férias, que têm sido apresentadas como “forçadas”.

O vice-presidente pergunta se não é legítimo, por exemplo, na área da construção, agora que tudo tem de parar – obras públicas e particulares, pedir aos trabalhadores que vão de férias agora, uma vez que se trata de um sector, por razões óbvias, não sujeito a teletrabalho?

Tópicos