Fátima Lopes junta-se ao Banco Alimentar e apela à solidariedade dos madeirenses

22 Mai 2020 / 14:10 H.

Fátima Lopes recorreu hoje às redes sociais para apelar à solidariedade dos madeirenses nas campanhas do Banco Alimentar Contra da Fome.

“Hoje partilho este prato vazio. Ajude a preencher este vazio, contribuindo para o Banco Alimentar da Madeira, através da compra de Vales nas caixas do supermercado ou online no site www.alimentestaideia.pt”, escreveu a designer madeirense na sua página de Facebook.

Assim que recebeu o pedido da delegação regional do Banco Alimentar para divulgar as campanhas em curso, Fátima Lopes abraçou logo esta causa, esperando que o seu contributo possa ajudar quem mais precisa.

“Confesso que fiquei chocada com esta realidade vivida actualmente na Madeira”, refere ao DIÁRIO, explicando que não tinha noção de que havia “tanta fome” na Região.

A imagem de um prato vazio é “uma chamada de atenção” para a dura realidade vivida não só na Madeira, como em todo o país. “É óbvio que neste momento somos todos um e todos temos de ajudar”, apela a criadora madeirense, salientado que está na mão de toda a gente fazer um pouco mais.

Perante o momento difícil imposto pela pandemia Covid-19, Fátima Lopes diz que “cada um de nós deve ser solidário e tentar minimizar um pouco a desgraça alheia que é bem real”.

A ideia é que este apelo possa chegar ao maior número de pessoas. “Foi essa a intenção da Delegação Regional ao endereçar-me o pedido e é este o meu desejo, aproveitar as minhas redes sociais, que chegam a muito público, para tentar ajudar o melhor possível”, refere a criadora.

O apelo é para a Madeira, embora todo o país esteja a precisar de ajuda, mas considera que cabe a cada um tentar ajudar a sua região.

As campanhas decorrem nas redes sociais, através da compra de Vales nas caixas do supermercado ou online, no site www.alimentestaideia.pt.

Apesar de terem mais impacto e mais força quando são feitas nos supermercados, num apelo directo às pessoas, e embora seja mais difícil conseguir os donativos do passado, Fátima Lopes espera que estas campanhas possam ajudar quem hoje vive com dificuldades. Por isso, o apelo é simples: “ajude esta causa e alimente esta ideia”.