Desde Fevereiro de 2012 que malparado das empresas madeirenses não era tão baixo

Mais sociedades com empréstimo da banca em Março do que há um ano, mas por menor valor. Famílias estavam a ter mais acesso ao crédito

22 Mai 2020 / 14:58 H.

Segundo os dados do Banco de Portugal, no final de Março de 2020, o saldo dos empréstimos concedidos a cerca de 3.600 sociedades não financeiras (SNF) na Região era de 1.592,3 milhões de euros, inferior em 61,8 milhões de euros em termos homólogos (-3,7%), sendo que, quando comparado com Dezembro (final do 4.º trimestre de 2019), assistiu-se a um aumento de 82,1 milhões de euros (+5,4%). De notar que o número de sociedades com empréstimos cresceu de 3,4 mil para 3,6 mil entre Março de 2019 e Março deste ano.

Por sua vez, o montante de empréstimos vencidos não ultrapassava os 119,6 milhões de euros em Março de 2020, decrescendo em 82,7 milhões de euros (-40,9%) comparativamente ao mesmo mês de 2019. Esta evolução permitiu reduzir o rácio de empréstimos vencidos na Região entre Março de 2019 e Março de 2020, de 12,2% para 7,5%, respectivamente, constituindo este o valor mais baixo desde Fevereiro de 2012. Apesar da convergência com o país, a RAM continua a apresentar um rácio superior, sendo que no cômputo nacional, este indicador passou de 7,6% para 4,4% entre Março de 2019 e Março de 2020.

A percentagem de devedores do sector das SNF com empréstimos vencidos no final de Março de 2020 era de 21,3%, valor superior ao nacional (19,4%), crescendo em termos homólogos (0,8 pontos percentuais) e também face a Dezembro passado (0,9 p.p.).

Mais famílias com empréstimos

No sector das famílias e das Instituições Sem Fins Lucrativos ao Serviço das Famílias (ISFLSF), o saldo dos empréstimos concedidos era em Março de 2020 de 3.246,1 milhões de euros, inferior aos 3.297,8 milhões de euros (-1,6%) de um ano antes. 64,7% daquele saldo era referente ao segmento da “habitação” e os 35,3% restantes ao “consumo e outros fins”. Comparativamente a Março de 2019, o saldo dos empréstimos concedidos referente ao primeiro segmento diminuiu 0,7%, enquanto no segundo a redução foi mais expressiva (-3,1%).

O número de devedores no sector das famílias e das ISFLSF ascendia a 101,3 mil no final de Março de 2020, apresentando uma tendência crescente no último ano (+10,0%), transversal aos segmentos “habitação” (+2,6%) e “consumo e outros fins” (+11,8%).

Relativamente aos empréstimos vencidos no segmento da habitação, os mesmos não ultrapassavam os 29,1 milhões de euros, representando um rácio de empréstimos vencidos de 1,4%, percentagem acima do valor nacional (0,8%). Entre Março de 2019 e Março de 2020, o rácio de empréstimos vencidos de “habitação” reduziu-se em 0,3 pontos percentuais na Região, enquanto que no geral do ‘malparado’ das famílias, manteve-se nos 18,6%, a percentagem mais baixa desde Abril de 2017.