D. António Carrilho diz ter recebido com alegria a nomeação

12 Jan 2019 / 11:17 H.

“É com grande alegria que, ainda envoltos na Luz de Belém, no final das celebrações natalícias, recebemos a notícia da nomeação de D. Nuno Brás da Siva Martins, até agora Bispo Auxiliar do Patriarcado de Lisboa, para meu sucessor como Bispo do Funchal. Desde já, a minha jubilosa e cordial saudação: seja bem-vindo à querida Diocese do Funchal, como seu Pastor e Guia; e que Deus o abençoe e cumule das maiores graças, nesta sua nova missão”. São com estas palavras que D. António Carrilho, Bispo do Funchal reage à nomeação do novo chefe da igreja madeirense.

E prossegue: “Louvamos e agradecemos ao Senhor a feliz nomeação do Papa Francisco, para presidir na fé e na caridade a esta bela seara do campo de Deus, plantada no oceano. Bem-haja, pois! O Espírito Santo vos escolheu para serdes o Pastor solicito e atento, na linha da sucessão dos Apóstolos, como sinal visível da comunhão e unidade desta Igreja, que vos recebe de braços abertos e acolhe, na decisão do Santo Padre, a vontade de Deus. Um Bispo é sempre um grande dom para a Igreja!”

No termo da sua missão pastoral à frente desta comunidade diocesana, agradece a todos os meus colaboradores, sacerdotes, diáconos, religiosos e religiosas, aos jovens e a todo o povo de Deus, “a preciosa colaboração que me prestaram nos diversos ministérios e serviços eclesiais. E não esqueço os idosos e doentes, que pela oração e sacrifício, também me ajudaram neste serviço pastoral”.

“Vamos acolher o nosso Novo Bispo, com alegria e total disponibilidade para servir na grande missão de anunciar o Evangelho da esperança e da paz. Sinta-se, D. Nuno Brás, desde o primeiro momento, amado e acolhido de todo o coração, nestas nossas ilhas da Madeira e Porto Santo, e por todos os madeirenses e porto-santenses espalhados pelo mundo”, acrescenta numa nota feita chegar ao nosso jornal.

E conclui: “Senhor Bispo D. Nuno Brás, reitero os meus votos de boas-vindas, a minha alegria e da comunidade eclesial, com a vossa chegada à nossa querida Diocese do Funchal. Conte sempre com a oração de todos e com a minha fraterna amizade, disponibilidade e comunhão eclesial. Convosco estaremos, em maior proximidade, na celebração de tomada de posse e entrada solene na Diocese, no dia 17 de fevereiro, às 16 horas, na Sé do Funchal”.