René Santos quer regresso da I Liga para melhorar posição do Marítimo

03 Abr 2020 / 21:53 H.

O jogador do Marítimo René Santos disse hoje desejar o regresso da I Liga portuguesa de futebol para melhorar a posição da equipa madeirense, 15.ª classificada antes da suspensão devido à pandemia de Covid-19.

“Que o campeonato possa regressar o quanto antes para que possamos terminar a época e acabá-la da melhor forma possível, que é tirar o Marítimo da posição em que ficámos”, desejou, no programa ‘Marítimo na TSF’.

René até iniciou a época como segunda opção, mas agarrou a titularidade à passagem da quarta jornada e soma um total de 25 jogos e 2.115 minutos, por isso, está ansioso de voltar aos relvados.

“A esperança é essa. Sempre que me deito, penso em me levantar cedo e fazer algum exercício para que, quando o campeonato voltar, eu esteja pronto para regressar à titularidade. Quero estar em forma para que, quando voltar, continue a jogar da maneira que estava ou até melhorar”, acrescentou.

A possibilidade do regresso do campeonato ser à porta fechada foi questionada, mas o jogador brasileiro disse não se “sentir bem” em jogar sem adeptos, porque gosta do “apoio” e do “calor” da massa associativa.

René Santos falou da sua carreira, entre jogar no ‘Brasileirão’ aos 18 anos com o Grêmio e a passagem pelo futebol japonês, mas destacou o que sente desde a chegada ao Marítimo, em janeiro de 2019.

“Estou muito feliz. Não tenho nada melhor do que viver em paz. Mesmo sozinho, estou tranquilo. Se tivesse uma palavra para descrever do clube, seria gratidão. Espero continuar o que tenho vindo a fazer no clube”, descreveu o atleta, de 27 anos.

Numa primeira etapa, jogou a médio defensivo, mas tem sido peça essencial no eixo da defesa ‘verde rubra’ esta temporada, ao lado de Zainadine. René disse não ter preferência e que o essencial é continuar a “dar o máximo para ajudar”.

O período de quarentena está a ser vivido com tranquilidade, com exercício físico e alimentação a serem os pontos essenciais no dia a dia. Entre alongamentos, corrida e piscina, comer bem é a prioridade.

“Como estamos em casa, às vezes, há mais ansiedade e pensamos mais em comer. Acho que a alimentação vai ser o mais importante nisto tudo”, referiu.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de um milhão de pessoas em todo o mundo, das quais morreram perto de 55 mil.

Em Portugal, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, registaram-se 246 mortes e 9.886 casos de infeções confirmadas.