PJ detém no Algarve duas mulheres suspeitas de homicídio e profanação de cadáver

03 Abr 2020 / 04:21 H.

    As autoridades policiais detiveram ontem, no Algarve, duas mulheres suspeitas de homicídio e profanação de cadáver, no âmbito de uma investigação ao surgimento de partes de um corpo desmembrado, em Tavira e em Sagres, anunciou a Polícia Judiciária (PJ).

    A detenção foi feita pela Diretoria do Sul da PJ, depois o Departamento de Investigação Criminal de Portimão ter recolhido indícios que permitiram identificar e deter as duas mulheres, com “19 e 23 anos, residentes no Algarve, social e familiarmente inseridas e sem antecedentes criminais”.

    As detidas são suspeitas da autoria de um crime de homicídio qualificado e outro de profanação de cadáver, que “ocorreram na região algarvia entre os dias 20 a 25 de março”, quando a vítima, com 21 anos, também residente no Algarve, terá sido desmembrada, “tendo partes do corpo sido encontradas nas zonas de Sagres e de Tavira”, contextualizou a PJ num comunicado.

    A mesma fonte referiu que, desde o aparecimento de partes do corpo em diferentes locais, a investigação decorreu “ininterruptamente” e “permitiu a recolha de relevantes elementos indiciários” que conduziram à detenção das duas mulheres durante o dia de hoje.

    As detidas vão ainda ser presentes a interrogatório judicial e, no final, ficarão a conhecer as eventuais medidas de coação a que ficarão sujeitas, acrescentou a PJ, sem revelar quando se produzirá a comparecência perante um juiz de instrução.

    Na passada sexta-feira, a PJ disse à Lusa que estava a investigar a origem de partes de corpos humanos encontradas em Tavira e em Sagres, no distrito de Faro, confirmando que tinham sido encontradas junto à Fortaleza de Sagres e em Tavira.

    A PJ adiantou na ocasião que estava a “decorrer a investigação para apurar a origem e se pertenciam à mesma pessoa” as partes de corpo encontradas.

    Fonte da GNR indicou que tinha sido acionada para a zona circundante ao Pego do Inferno, em Tavira, uma brigada da intervenção daquela força que, com o auxílio de cães pisteiros, tentou localizar, sem sucesso, outras partes do corpo encontrado no local.