Parlamento condena criação do museu Salazar com abstenção do PSD e CDS

12 Set 2019 / 03:21 H.

O parlamento condenou ontem a criação de um museu dedicado a Salazar em Santa Comba Dão, terra natal do ditador, Viseu, aprovando um voto do PCP por considerar ser uma “afronta à democracia”.

Na hora da votação, PSD e CDS abstiveram-se, mas a maioria de esquerda -- PS, BE, PCP e PEV -- aprovou o voto apresentado pelos comunistas à comissão permanente da Assembleia da República, órgão que substitui o plenário do parlamento durante as férias.

PSD, CDS e PS anunciaram declarações de voto sobre esta matéria que tem causado polémica nas últimas semanas

Segundo texto da bancada comunista, aprovado pelos deputados, a criação de “um ‘museu’ dedicado à memória do ditador Oliveira Salazar em Santa Comba Dão” é “uma afronta à democracia, aos valores democráticos” e uma “ofensa à memória das vítimas da ditadura”.

Através deste voto, o parlamento apela aos promotores da criação do museu para que “reconsiderem a sua posição” e a todas as “entidades, públicas e privadas, para que não apoiem, direta ou indiretamente, essa iniciativa”.

Esta posição do parlamento surge após a Câmara Municipal de Santa Comba Dão, distrito de Viseu, ter anunciado a intenção do município criar um Centro Interpretativo do Estado Novo, em parceria com outras entidades regionais e incluído numa rede ligada à História e Memória Política.

Outras Notícias