Desvio de armas volta a ensombrar

Agora o caso é na PSP. O caso está em vários jornais, que partilham também a história do bebé resgatado da morte. Leia ainda sobre o novo pedido do Novo Banco, sobre o Aeroporto do Montijo e sobre os resultados das competições europeias, entre vários outros temas

08 Nov 2019 / 10:16 H.

Traficante de armas com a chave da PSP, noticia o Correio da Manhã. Pistolas desviadas da polícia vendidas a criminosos, adianta o jornal, que traz nas imagens as competições europeias, a derrota do FC Porto e a vitória do Sporting e do Sporting de Braga, e ainda o abraço do Presidente da República ao homem que alertou para a presença do bebé abandonado no Ecoponto.

No JN, a principal de hoje é a notícia de que as apreensões de cocaína estão a subir há quatro anos seguidos. As autoridades já apanharam sete toneladas, ultrapassando o valor de 2018. Portugal está na rota dos traficantes sul-americanos. Sobre as armas desviadas da Polícia, o JN revela que iam para a Guiné junto com ovos e galinhas. Aqui também a história do bebé resgatado. Segundo o matutino, poderá ser entregue à família biológica. A mancha maior é também para os resultados do futebol.

O Diário de Notícias faz manchete com o caso das armas. Os dois traficantes acusados no caso são os mesmos de Tancos. Os procuradores não terão cruzado as pistas, acrescenta no desenvolvimento de “Procuradores de Tancos ignoraram pistas de tráfico de armas para a Guiné-Bissau”. Quanto à história do bebé, é vista numa nova perspectiva, a do socorrista que o salvou. Nas imagens, no topo os 30 anos da queda do muro de Berlim, ao centro, o cruzamento de dois dos mais conhecidos músicos nacionais. “Fado ao piano de Camané e Laginha, em novo disco”.

No i, os médicos não se responsabilizam, alerta. Em causa está a falta de especialistas nas urgências do hospital Santa Maria, assegurada por médicos com dois anos de experiência. Ainda em grande, o drama de quem tem carro eléctrico. Os postos estão avariados ou são usados pelos que fazem do carro o seu trabalho. No interior faltam postos de carregamento. As queixas disparam, segundo o jornal, mas o governo segue com a concessão da rede.

“Montijo não mede todo o impacto do CO2 e ameaça metas de Paris”, diz a manchete do Público. A pista pode também inundar-se com a subida do nível do mar. Na imagem da edição, a Comissária Europeia para a Concorrência, Margrethe Vestager, que afirma que a tecnologia não pode sobrepor-se aos valores.

Novo Banco vai pedir mais 700 milhões ao Fundo de Resolução, revela a edição desta sexta-feira do Jornal Económico. O Governo previa que fossem 600 milhões. Na edição que sai apenas à sexta-feira, leia ainda que o Aeroporto do Montijo não terá ligação ferroviária directa. O presidente da Agência Portuguesa do Ambiente adianta que haverá apenas um ‘shuttle’ rodoviário com destino ao Pinhal Novo, com chega a Lisboa pela ponte 25 de Abril.

No Negócios, a queda da moeda angola. “Queda do Kwanza ameaça empresas e expatriados”, diz a manchete. A divisa afundou 19% em pouco mais de um mês. “Revolut vai entrar no crédito sem a banca”, diz outra notícia hoje em destaque na capa. Ainda nesta edição a notícia de que Portugal já ganha a Espanha no défice, crescimento e juros.

Nos desportivos, A Bola coloca “Topo e Fundo, com três setas nestas direcções, duas a subir, uma a descer, indicando os resultados de Sporting e Sporting de Braga, que venceram respectivamente o Rosenbor por 0-2 e Besiktas por 3-1, respectivamente, e Porto que perdeu frente ao Rangers por 2-0. No Recorde, há muito verde e o título “Líder”. “Leão vence na Noruega e está a um triunfo do apuramento”. O Jogo optou por “Dois passos de gigante”, referindo-se às equipas portuguesas vencedoras.

Outras Notícias