Número diário de mortes em Espanha desce ligeiramente para 48

23 Mai 2020 / 19:54 H.

Espanha registou 48 mortes devido à pandemia de covid-19 nas últimas 24 horas, uma ligeira descida em relação às 56 de sexta-feira, anunciou hoje o Ministério da Saúde espanhol.

De acordo com o relatório diário com o balanço da pandemia, o país contabilizou um total de 28.678 óbitos desde que a doença foi declarada.

Segundo os números divulgados, no total do país há 361 novos casos com a doença, elevando para 235.290 o total de infetados confirmados até hoje pelo teste PCR, o mais fiável na deteção do novo coronavírus.

Os dados diários indicam ainda que, nas últimas 24 horas, foram hospitalizados 125 doentes, aumentando para 124.757 o total de pessoas que até agora precisaram de ser internadas.

O primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez, convidou hoje os profissionais da hotelaria e restauração a prepararem-se para retomar a sua atividade e acolher principalmente o turismo nacional, tendo anunciado que a partir de julho as fronteiras serão abertas aos visitantes estrangeiros.

“Haverá uma época turística este verão”, assegurou Sánchez em conferência de imprensa onde incentivou os proprietários de bares, restaurantes e estabelecimentos de praia a “prepararem-se para retomar a sua atividade dentro de poucos dias”.

O chefe do executivo espanhol também avançou que o campeonato de futebol profissional vai retomar a 08 de junho próximo.

As regiões espanholas mais atingidas pela pandemia de covid-19 de Madrid, Barcelona e Castela e Leão passam esta segunda-feira à “fase um” do plano de alívio das medidas rígidas de luta contra a doença.

Estas regiões, onde está cerca de 30% da população de Espanha, juntam-se às restantes que, desde há duas semanas, já permitiam, por exemplo, a abertura de esplanadas com uma ocupação até 50% da sua capacidade ou a reunião no exterior ou em casa de até 10 pessoas, desde que sejam respeitadas as regras de distanciamento social.

O parlamento espanhol aprovou na quarta-feira o prolongamento por mais duas semanas, a partir de domingo e até à meia-noite de 06 de junho, do estado de emergência, em vigor desde 15 de março, com o objetivo de lutar contra o novo coronavírus.

O plano de alívio das medidas de luta contra o novo coronavírus prevê o levantamento gradual do confinamento numa série de fases que deverão terminar em finais de junho, com a chegada a uma “nova normalidade”.

Espanha é o segundo país com mais mortos com a covid-19 por cada milhão de habitantes (612 óbitos), depois da Bélgica (797) e antes da Itália (541), Reino Unido (541) e França (433), numa lista em que os Estados Unidos têm 296 e Portugal 128.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 339 mil mortos e infetou mais de 5,2 milhões de pessoas em 196 países e territórios.

Para combater a pandemia, os governos mandaram para casa 4,5 mil milhões de pessoas (mais de metade da população do planeta), paralisando setores inteiros da economia mundial, num “grande confinamento” que vários países já começaram a aliviar face à diminuição dos novos contágios.