Noruega extradita um religioso islâmico iraquiano para Itália

26 Mar 2020 / 14:34 H.

A Noruega anunciou hoje ter extraditado para Itália o ‘mullah’ Krekar, um pregador condenado pela justiça italiana por ter dirigido uma rede ‘jihadista’.

“Krekar já não está na Noruega. Krekar foi hoje extraditado para Itália”, declarou a ministra da Justiça, Monica Maeland, numa conferência de imprensa.

A viver desde 1991 na Noruega, que o acolheu e à sua família como refugiados, Najumuddin Faraj Ahmad -- o seu nome verdadeiro -- foi condenado à revelia em 2019 a 12 anos de prisão em Itália.

O tribunal de Bolzano, em primeira instância, reconheceu o curdo iraquiano, actualmente com 63 anos, culpado de ter dirigido a rede ‘jihadista’ curda Rawti Shax, presumivelmente ligada ao movimento extremista Estado Islâmico. Desmantelada em 2015, aquela rede teria projectado atentados no Ocidente.

Considerado como uma ameaça à segurança nacional na Noruega, onde cumpriu vários anos de prisão, o ‘mullah’ Krekar era alvo desde 2003 de um processo de expulsão do país nórdico.

Mas esta decisão ainda não tinha sido aplicada devido à falta de garantias suficientes em relação à sua segurança em caso de regresso ao Iraque, onde arriscava a pena de morte.

O seu advogado Brynjar Meling disse que este era “um dia de vergonha” para as autoridades norueguesas e “uma negação de justiça”.

A sua expulsão para Itália acontece quando este país é o mais afectado no mundo pela pandemia do novo coronavírus, que já causou mais de 7.500 mortos.

“Tanto a Noruega como a Itália estão numa situação marcada pelo coronavírus”, observou Maeland, adiantando existirem garantias de que “Krekar será atendido de forma satisfatória e responsável em Itália”.

O ‘mullah’ Krekar, que esgotou todos os recursos judiciais na Noruega, cofundou no Iraque o grupo islâmico Ansar al-Islam, que afirma não dirigir desde 2002. Este grupo e ele próprio integram a lista das pessoas e organizações terroristas dos Estados Unidos e da ONU.