Espanha quase nos 125 mil casos e 11.800 mortos

Nas últimas 24 horas foram mais 809 vítimas mortais e 7.026 novos positivos

04 Abr 2020 / 11:28 H.

Espanha registou nas últimas 24 horas 809 mortes devido ao novo coronavírus, o número mais baixo desde o sábado passado, alcançando um total de 11.744 vítimas mortais, segundo a última atualização das autoridades sanitárias.

De acordo com o Ministério da Saúde espanhol, foram confirmados 7.026 novos infetados, o que confirma a desaceleração do ritmo de progresso da pandemia, sendo agora o total de contagiados de 124.736.

Desde o início da pandemia do novo coronavírus, 34.219 pessoas que foram contagiadas tiveram alta e são consideradas como curadas (dados consolidados às 20:00 horas de Lisboa de sexta-feira).

O número de mortes anunciado hoje (809) significa o segundo dia consecutivo em que o número de vítimas mortais se reduz: 864 na quarta-feira, 950 na quinta-feira e 932 na sexta-feira.

Na totalidade do país já foram ou estão internadas 57.612 pessoas, das quais 6.532 em unidades de cuidados intensivos.

A região com mais casos positivos de covid-19 é a de Madrid, com 36.249 infetados e 4.723 mortos, seguida pela da Catalunha (24.734 e 2.508), a de Castela-Mancha (9.324 e 989), a de Castela e Leão (8.332 e 786) e a do País Basco (8.187 e 477).

O ministro da Saúde espanhol, Salvador Illa, salientou na sexta-feira que a epidemia de covid-19 em Espanha passou da fase de estabilização para a fase de mitigação, concluindo que foi cumprido o objetivo que tinha estabelecido para esta “semana dura”.

O responsável explicou que nos últimos sete dias a taxa de crescimento diária dos novos casos do novo coronavírus situou-se abaixo dos 10%, quando no início da crise se situava nos 20%.

O primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez, vai falar hoje com todos os líderes da oposição para os informar se vai propor um prolongamento do “estado de emergência”, uma decisão que deverá ser ratificada na próxima quarta-feira pelo parlamento.

Entretanto, os espanhóis permanecem confinados em casa, salvo os que asseguram os serviços essenciais, até, pelo menos, a próxima sexta-feira, dia em que termina o atual período excecional.

As autoridades já avisaram que os controlos da polícia nas autoestradas do país vão ser intensificados nos próximos dias, nas vésperas da Semana Santa.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de um milhão de pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 57 mil.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

O continente europeu, com cerca de 587 mil infetados e quase 42 mil mortos, é aquele onde se regista o maior número de casos, e a Itália é o país do mundo com mais vítimas mortais, 14.681 óbitos em 119.827 casos confirmados até hoje.

A Espanha é o segundo país com maior número de mortes, enquanto os Estados Unidos, com 6.699 mortos, são o que contabiliza mais infetados (261.438).