Comunidade de Madrid acredita que há 50 mil infetados na capital

26 Mar 2020 / 11:23 H.

O conselheiro para a Saúde da Comunidade de Madrid, Enrique Ruiz Escudero admitiu hoje que, embora o número de infetados por coronavírus diagnosticados seja de 17 mil, o balanço real pode rondar os 50 mil na região da capital espanhola.

Em entrevista ao canal de televisão Antena3, Escudero afirmou que o número total de contágios não incluiu os pacientes que foram diagnosticados em casa e que, somando aqueles que foram identificados pelo teste do novo coronavírus (Covid-19) pode falar-se de 50 mil afetados pela pandemia, na Comunidade de Madrid.

Nesse sentido, acrescentou que em Espanha deveria multiplicar-se por três o número de casos positivos, o que significa um número próximo de 70 mil afetados a nível nacional.

A esse número devem ser somados, disse, os três perfis de diagnóstico: os que foram detetados como casos positivos através do teste, os que foram diagnosticados clinicamente pelas equipas de Cuidados Primários e os contágios assintomáticos.

“Estamos perante um cenário de transmissão, há muitos pacientes que não têm diagnóstico, mas que seguramente são positivos”, avisou o responsável.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou perto de 450 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 20.000.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

O continente europeu, com cerca de 240.000 infetados, é aquele onde está a surgir atualmente o maior número de casos, e a Itália é o país do mundo com mais vítimas mortais, com 7.503 mortos em 74.386 casos registados até hoje.

A Espanha é o segundo país com maior número de mortes, registando 3.434, entre 47.610 casos de infeção.

A China, sem contar com os territórios de Hong Kong e Macau, onde a epidemia surgiu no final de dezembro, conta com 81.285 casos, tendo sido registados 3.287 mortes. Nas últimas 24 horas, reportou 67 novos casos, todos com origem no exterior, quando o país começa a regressar à normalidade, após dois meses de paralisia. Morreram mais 6 pessoas.

No total, 74.051 receberam alta, após terem superado a doença.

Os países mais afetados a seguir à Itália, Espanha e China são o Irão, com 2.077 mortes num total de 27.017 casos, a França, com 1.331 mortes (25.233 casos), e os Estados Unidos, com 827 mortes (mais de 60.000 casos).

O continente africano registou 69 mortes devido ao novo coronavírus, ultrapassando os 2.631 casos.

Vários países adotaram medidas excecionais, incluindo o regime de quarentena e o encerramento de fronteiras.