Companhias aéreas dos EUA pedem ajuda imediata ao Congresso

21 Mar 2020 / 18:46 H.

Os líderes das maiores transportadoras aéreas norte-americanas pediram hoje ao Congresso dos Estados Unidos (EUA) uma ajuda imediata para os 750 mil profissionais do setor, fortemente afetado devido à pandemia da covid-19.

“Em nome dos 750 mil trabalhadores das companhias e do transporte aéreo, pedimos respeitosamente que se continue a trabalhar arduamente para adotar um plano de ajuda conjunto das duas partes [Senado e Câmara dos Representantes, os dois órgãos que compõem o Congresso],“, lê-se na missiva enviada aos deputados dos dois partidos (democratas e republicanos) que têm assento no Senado e na Câmara dos Representantes.

O apelo é para que sejam estipuladas várias medidas de emergência de apoio ao setor, tal como a criação de fundos de proteção social, o acesso a financiamento e a financiamento garantido pelo Estado, e ajustes fiscais, e foi lançado pelos dirigentes da American Airlines, United Airlines, Delta Air Lines e Southwest Airlines, e ainda das distribuidoras UPS e Fedex.

Os signatários também procuram contrariar o impacto negativo que a imagem da aviação sofreu nos EUA nos últimos tempos, com as grandes transportadoras a serem acusadas de terem preferido distribuir dividendos aos seus acionistas em tempos de lucros, em vez de criaram reservas para responder a uma situação inesperada de crise.

A carta destaca que o setor já tomou medidas para se proteger dos efeitos catastróficos da pandemia da covid-19, cujo valor ascende aos 30 mil milhões de dólares (28 mil milhões de euros), e que durante a década passada reinvestiu “73% dos seus resultados operacionais em pessoal e em produtos”.

Mas as transportadoras vincam que as oportunidades de renegociação de créditos junto da banca estão fechadas, devido ao pânico que tomou conta do mercado de dívida por causa da magnitude do impacto económico do novo coronavírus.

“Se as medidas de proteção salarial não forem adotadas imediatamente, muitos de nós serão forçados a tomar medidas drásticas, como demissões”, alertam os signatários, que representam uma indústria fortemente afetada pelas severas restrições ao tráfego aéreo impostas a nível mundial por causa da covid-19.

O Congresso norte-americano já aprovou dois pacotes de estímulo ao setor, mas está neste fim de semana a negociar um pacote de apoio reforçado de mais de 1 bilião de dólares (930 mil milhões de euros), que pode ser implementado pelo Senado na segunda-feira, caso haja acordo entre republicanos e democratas.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 271 mil pessoas em todo o mundo, das quais mais de 12.000 morreram.

Depois de surgir na China, em dezembro de 2019, o surto espalhou-se já por 182 países e territórios, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.