Cabo Verde garante apoio médico e psicológico às pessoas em quarentena em hotéis

30 Mar 2020 / 08:34 H.

O diretor nacional de Saúde cabo-verdiano, Artur Correia, garantiu hoje que as pessoas que estão em quarentena nos hotéis do país estão a ter apoio médico e a partir de segunda-feira vão ter acesso a consulta de psicologia.

“Hoje visitei um dos hotéis onde as pessoas estão de quarentena e saí de lá muito satisfeito porque estão a cumprir na íntegra as recomendações. Todos estão nos respetivos quartos, a alimentação é servida em embalagens descartáveis e também há presença de profissionais de saúde para dar algum apoio, quer médico quer psicológico”, disse.

O diretor nacional de Saúde avançou essa informação, em conferência de imprensa, na cidade da Praia, para fazer o balanço diário da situação do coronavírus no país, garantindo que em todos os hotéis as pessoas estão a ser seguidas presencialmente por um ou dois profissionais de saúde, para além da linha verde (800 11 12), atendida por enfermeiros.

A partir de segunda-feira, informou que as pessoas vão passar a ter acesso a consulta de psicologia.

O médico cabo-verdiano disse ainda que as autoridades de saúde têm estado em contacto com a administração dos estabelecimentos, para saber qual o estado das pessoas, pedindo para seguirem as recomendações, nomeadamente para reforçar a higiene e limpeza dos mesmos.

As declarações do responsável governamental foram prestadas no mesmo dia em que vários profissionais de um dos hotéis na ilha da Boa Vista, onde foi registado o primeiro caso no país, reclamaram da sua situação, tendo denunciado que foram convocados para trabalhar a partir de segunda-feira, ameaçando com falta quem não se apresentar ao serviço.

Além da Boa Vista, onde há mais de 200 funcionários em quarentena, há também mais de 300 em hotéis da cidade da Praia e do Sal, que chegaram na semana passada ao país.

O trabalhadores dos hotéis da Boa Vista reclamam também pelo facto de passados 10 dias em quarentena ainda não terem sido sujeitos a nenhum teste de despiste do novo coronavírus.

Sobre esta questão, Artur Correia informou que o Ministério da Saúde está a preparar um estudo para determinar qual a circulação do vírus a nível dos hotéis, pelo que aproveitou para pedir a colaboração de todos os trabalhadores desses estabelecimentos hoteleiros.

Na habitual conferência de imprensa, o diretor nacional de Saúde enviou um mensagem especial aos trabalhadores confinados aos dois hotéis na Boa Vista, dizendo que eles são os “verdadeiros heróis” da ilha e de Cabo Verde.

“Todos os dias, 24 horas por dia, estão nas nossas cabeças, do Ministério da Saúde, estão presentes nas nossas preocupações e, como diretor Nacional da Saúde, devo render-vos uma homenagem, pela forma como se têm comportado e espero que estejam conscientes que esta quarentena que estão a fazer não é nenhum castigo, é um ato heróico que estão a fazer, para a saúde de vocês, das vossas famílias, da Boa Vista e de Cabo Verde”, endereçou.

Dizendo que a quarentena foi uma “medida sensata” e “imprescindível” para garantir a segurança sanitária da Boa Vista e do país, o responsável cabo-verdiano pediu ainda a essas pessoas que evitem aglomerações e pratiquem o distanciamento social.

No balanço diário, Artur Correia informou que Cabo Verde não registou qualquer caso positivo da doença nas últimas 24 horas, sendo que todos os testes realizados deram negativo.

No sábado, o Presidente cabo-verdiano, Jorge Carlos Fonseca, declarou a situação de emergência no país por 20 dias, uma medida para intensificar o combate ao novo coronavírus, que regista seis casos, entre as ilhas da Boa Vista e de Santiago, sendo quatro deles importados.

Detetado em dezembro de 2019, na China, o novo coronavírus já infetou mais de 667 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 31.000.

Dos casos de infeção, pelo menos 134.700 são considerados curados.