África do Sul regista quinta morte e mais de 1.350 infectados

31 Mar 2020 / 18:56 H.

Uma mulher de 46 anos morreu hoje em Umlazi, província litoral do KwaZulu-Natal, aumentando para cinco mortos, quando se registam 1.353 casos positivos de infeção pelo novo coronavírus na África do Sul, anunciou o ministro da Saúde.

“O Presidente da República anunciou ontem a terceira morte, mas de facto temos cinco mortos em resultado da covid-19”, disse Zweli Mkhize.

Falando em Durban, capital do KwaZulu-Natal, onde 13 técnicos navais portugueses estão retidos desde quinta-feira a aguardar repatriamento para Portugal, o governante sul-africano adiantou que a mulher de 46 anos foi admitida no hospital com problemas de saúde e respiratórios.

“Aconteceu há umas horas atrás, ela tem 46 anos e foi admitida com hipertensão e asma crónica e testou positivo [ao novo coronavírus] no processo”, afirmou Mkhize.

O ministro revelou que o número de infeções confirmadas aumentou hoje para 1.353 casos, acima dos 1.326 anunciados pelo Presidente da República na segunda-feira à noite.

Segundo Mkhize, os cinco casos de morte registados pelas autoridades de saúde sul-africanas ocorreram no Western Cape (01), Free State (01), Gauteng (01) e no Kwazulu-Natal (02), nomeadamente em Ladysmith e Umlazi. As idades das vítimas mortais variam entre os 46 e os 85 anos, referiu.

Em Gauteng, envolvente a Joanesburgo e epicentro da epidemia no país, o número de casos de infeção da doença pandémica ascende agora a 633 casos positivos, afirmou.

O ministro explicou que o óbito registado hoje nesta província, onde habita cerca de 25% da população do país, “não tinha histórico de viagem, mas deslocou-se à Cidade do Cabo e movimentou-se na área de Krugersdorp [arredores de Joanesburgo]”.

As autoridades de saúde sul-africanas realizaram 39.500 análises ao novo coronavírus desde 05 de março, quando foi anunciado o primeiro caso positivo de infeção no país, indicou.

O governo provincial de Gauteng começou hoje a realizar testes à covid-19 em Alexandra, área informal densamente habitada junto a Sandton, Joanesburgo, foi também anunciado.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 803 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 40 mil.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

O número de mortes em África subiu para 173, com os casos confirmados a ultrapassarem os 5.000 em 47 países, de acordo com as mais recentes estatísticas sobre a doença no continente.