JPP pede esclarecimentos sobre regresso de estudantes

25 Mar 2020 / 18:14 H.

Numa nota dirigida à comunicação social, o JPP alega ter “vários pedidos de ajuda de pais e estudantes universitários” que permanecem no continente cumprindo as medidas de protecção impostas no contexto da pandemia de Covid-19.

Na mesma nota o deputado Paulo Alves expõe que (apesar de não se terem precipitado em regressar à Região seguindo o apelo das Autoridades de Saúde) “aproximando-se a Páscoa, período de interrupção lectiva e académica, a maioria destes mesmos estudantes já tinham viagem marcada e devidamente paga, mas agora, vêem-se impedidos de realizar a viagem pois precisam de uma autorização especifica que, pelas informações trazidas a público, apenas é passada com finalidade sanitária, ou seja, para tratamentos ou consultas de acompanhamento em serviços de saúde do continente”.

Segundo o deputado, “há testemunhos de estudantes que tinham a viagem marcada para ontem, dia 24 de Março, quando ainda não era obrigatório a apresentação da respectiva autorização, no entanto, a viagem foi adiada pela companhia aérea para amanhã, dia 26, já sendo obrigatória a apresentação do respectivo documento”.

Acrescenta ainda que “vários são os estudantes que tentam obter informações nos serviços de saúde regional, mas, até à data, sem sucesso”.

No entender do JPP, esta situação “tem de ser devidamente esclarecida pela Secretaria Regional de Saúde da Região, de forma a salvaguardar o regresso dos nossos estudantes, em segurança”.

“Se o nosso país está a proceder ao repatriamento de cidadãos portugueses deslocados pelo mundo, não faz sentido que o regresso dos nossos estudantes seja bloqueado por uma autorização ainda pouco clara. Entende o JPP que o regresso dos nossos estudantes deverá ser feito de forma organizada, respeitando a quarentena obrigatória à chegada, e salvaguardando o bem-estar dos estudantes, das suas famílias e de toda a Região”, conclui a nota.