Colômbia precisa de ajuda para enfrentar “catástrofe humanitária” na fronteira com a Venezuela

13 Mar 2018 / 08:49 H.

O diretor do Programa Alimentar Mundial, agência das Nações Unidas, afirmou hoje que a Colômbia precisa de ajuda internacional para enfrentar a “catástrofe humanitária” ao longo da sua fronteira com a Venezuela, onde chegam venezuelanos que fogem da fome.

Em declarações à Associated Press, após encontrar-se com venezuelanos durante uma visita a Cucuta, no leste da Colômbia, David Beasley afirmou que os relatos que ouviu aumentam a consciencialização de que a crise humanitária é uma prioridade urgente.

O diretor do Programa Alimentar Mundial adiantou que vai trabalhar com a Colômbia num plano para alimentar os 50 mil venezuelanos que entram no país todos os dias para comer.

David Beasley acrescentou que vai, também, pedir financiamento aos Estados Unidos da América e a outros países para ajudar neste esforço.

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, refere que as ofertas de ajuda humanitária são uma tentativa de desestabilizar o seu Governo

O Governo venezuelano nega a existência de uma crise humanitária e denuncia que as sanções financeiras impostas pelos Estados Unidos dificultam a importação de alimentos e medicamentos.