Sindicato diz que “o jornalismo não pode entrar em lay-off”

País /
09 Abr 2020 / 17:20 H.

O Sindicato dos Jornalistas (SJ) alerta para as implicações do recurso ao lay-off no jornalismo, sublinhando que a este é “ainda mais importante em tempo de crise, já que deste decorre uma diminuição efectiva da capacidade de produção jornalística”.

Admitindo que o lay-off seja “a melhor solução para algumas situações pontuais, enquanto instrumento de alívio financeiro de curto prazo”, o SJ alerta para a “fragilização que implica nas já enfraquecidas redacções de grande parte, senão da totalidade, dos órgãos de comunicação social portugueses”.

“Há anos que as redacções se debatem com falta de jornalistas para fazerem melhor jornalismo e muito do trabalho realizado é feito em condições de precariedade laboral e financeira, que, neste contexto, se agravará”, sustenta o sindicato em comunicado, sublinhando que “as medidas de apoio aprovadas para o sector devem concentrar-se na preservação da capacidade jornalística dos meios de comunicação social e dos agentes que a asseguram, os jornalistas, bem como da pluralidade da informação produzida”.

O SJ garante ainda que “estará atento aos lay-off no sector, exigindo uma rigorosa aplicação da lei e das regras e fazendo tudo o que estiver ao seu alcance para impedir que uma medida de alívio temporária venha a servir de expediente às empresas para acentuarem a tendência de encurtar redacções”.