EUA ameaçam suspender contribuição à Organização Mundial da Saúde

EUA /
08 Abr 2020 / 08:14 H.

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ameaçou na terça-feira suspender a contribuição à Organização Mundial da Saúde, na base da gestão pandemia de covid-19 e alegando que a instituição tem favorecido demasiado a China.

“Vamos suspender as quantias destinadas à OMS”, começou por dizer Donald Trump, na ronda de imprensa diária com os jornalistas na Casa Branca.

Uns minutos mais tarde, recuou, afirmando que está apenas a estudar essa hipótese: “Não estou a dizer que o vamos fazer [deixar de contribuir para a OMS], mas vamos analisar essa possibilidade”, precisou.

Na opinião de Trump, a OMS “devia ter percebido e provavelmente percebeu” o que ia acontecer com a pandemia de covid-19, que já infetou cerca de 1,4 milhões de pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 80 mil. Os Estados Unidos, com 12.021 mortos, são o que contabiliza mais infetados (382.256).

Além disso, Trump considera que a OMS tem sido “muito favorável à China, o que não é aceitável”.

Antes da conferência de imprensa, Trump escreveu, na rede social Twitter, uma mensagem particularmente agressiva contra a OMS, dizendo que a organização “realmente estragou tudo”.

Recordando que a OMS é “largamente financiada pelos Estados Unidos”, tem-se mostrado, “apesar disso, muito centrada na China”. E questionou: “Felizmente, rejeitei o conselho de manter as fronteiras abertas à China logo de início. Mas por que razão nos deram um conselho tão errado?”.

Recorde-se que Donald Trump tem sido muito criticado pela inação inicial à propagação do novo coronavírus, que surgiu na China, em dezembro, e se espalhou por todo o mundo, levando a OMS a declarar uma situação de pandemia.