Espanha com recorde de 849 mortos em 24 horas

31 Mar 2020 / 10:47 H.

Espanha registou, nas últimas 24 horas, 849 mortos com o novo coronavírus, um novo recorde de falecidos num só dia, elevando o balanço total para 8.189, segundo a última atualização das autoridades sanitárias.

Os números do Ministério da Saúde espanhol revelam ainda um aumento de 9.222 no número de infetados, um crescimento dos novos casos positivos, depois dos 6.398 anunciados na segunda-feira.

Desde o início da pandemia, o país registou um total de 94.417 casos de covid-19, dos quais 8.189 morreram e 19.259 tiveram alta e são considerados como curados.

Na totalidade do país estão ou estiveram hospitalizadas 49.243 pessoas e, dessas, 5.607 estão ou já estiveram em unidades de cuidados intensivos.

A região com mais casos positivos de covid-19 é a de Madrid, com 27.509 infetados e 3.603 mortos, seguida pela da Catalunha (18.773 e 1.672), a de Castela-Mancha (6.424 e 708) e a do País Basco (6.320 e 325).

As autoridades sanitárias têm afirmado que o pico das infeções do novo coronavírus está quase a ser alcançado.

De acordo com os dados do Ministério da Saúde espanhol, de 15 a 25 de março o aumento médio de casos diários de pessoas com a covid-19 foi de 20% e desde esse dia até segunda-feira de 12%.

Os esforços estão agora concentrados na prevenção do colapso do sistema de saúde a todo o custo, nomeadamente no apoio às grandes dificuldades que estão a enfrentar as unidades de cuidados intensivos, que têm 5.607 de internados em todo o país.

O Conselho de Ministros espanhol volta a reunir-se hoje e espera-se que sejam aprovadas novas medidas para mitigar as consequências sanitárias e económicas da pandemia do coronavírus.

O executivo deverá aprovar uma série de medidas para ajudar as famílias afetadas pela crise que vivem em casas alugadas, incluindo garantias para crédito sem juros, moratórias de pagamento e a suspensão de despejos.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 750 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 36 mil.

Dos casos de infeção, pelo menos 148.500 são considerados curados.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

O continente europeu, com mais de 413 mil infetados e mais de 26.500 mortos, é aquele onde se regista atualmente o maior número de casos, e a Itália é o país do mundo com mais vítimas mortais, com 11.591 mortos em 101.739 casos confirmados até segunda-feira.

A Espanha é o segundo país com maior número de mortes, enquanto os Estados Unidos são o que tem maior número de infetados (164.610).

Os países mais afetados a seguir a Itália, Espanha e China são a França, com 3.024 mortes (44.450 casos), o Irão, com 2.757 mortes reportadas até hoje (41.495 casos), e os Estados Unidos com 3.170 mortes (164.610 casos).